Prefeitura de Porto Alegre quer tecnologia em vez de mais força policial


Xangai – O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Jr, que participa com um grupo de autoridades brasileiras do Huawei Connect 2018, que acontece na cidade de Xangai, na China, está convencido de que somente com o investimento em mais tecnologia  poderá ter um sistema de segurança pública mais eficiente, sem precisar aumentar os gastos da administração. “As cidades e os estados brasileiros estão quebrados. Hoje, na prefeitura, gasto mais com o salário dos aposentados do que com os funcionário ativos e, por isso, é muito difícil evoluir na contratação de mais policiais. O que precisamos é de sistemas inteligentes”, disse ele.

Marchezan foi procurar  resposta junto a Huawei, que lançou uma plataforma de segurança para as cidades menores, com 100 mil a 500 mil habitantes. Para Marchezan, as cidades brasileiras precisam de alternativas de sistemas mais inteligentes que consigam prevenir e identificar problemas na área da segurança pública sem que seja necessária a vigilância por mais policiais.”Não adianta nada a gente registrar um milhão de imagens, se ainda precisarmos de pessoas para processar essas imagens”, afirmou.

Ele assinalou que a área de segurança de Porto Alegre conta com uma infraestrutura de rede própria, ainda de rádio 2G, mas que funciona bem. A sua intenção é a de levar esse sistema para a nuvem, fazer com que ele passe a ser inteligente, e só mais tarde começaria a trocar a rede pela tecnologia 4G – a LTE-, alternativa adotada pela maioria dos fabricantes.

A tecnologia de segurança desenvolvida pela Huawei, conhecida por C-C4ISR Safe City Solution, passou a ser modular e oferece, entre outros, a nuvem de vídeo inteligente, comunicação crítica multimídia e controle e comando de ações de policiais.

*A jornalista viajou a convite da Huawei

Anterior Audi e Huawei avançam na parceria do carro conectado
Próximos Infraestrutura de TI cresce 41% no segundo trimestre, aponta IDC