PPB dos celulares sofre pequenas alterações


Os ministérios do Desenvolvimento e da Ciência, Tecnologia e Inovação publicaram, nesta quarta-feira (27), portaria unificando as exigências do Processo Produtivo Básico (PPB) para aparelhos celulares, introduzindo algumas alterações. Entre elas, o uso de 10% de fios e cabos de dados produzidos no país a partir de 1º de julho deste ano.

Outra alteração é a dispensa de testes no país de subsistenas que implemente funções que não as principais do telefone celular, para evitar perdas de acústica no processo de agregação. Normalmente esses sistemas não são produzidos no Brasil, mas precisavam passar por testes aqui, perdendo qualidade após a desagregação dos componentes.

Mas manteve o cronograma para modelos de terminais portáteis de telefones celulares com capacidade de recepção de sinais de TV digital, apesar das solicitações da indústria. Pelo cronograma em vigor, de 1º de janeiro de 2012 até 31 de dezembro de 2012, deverão ser disponibilizados 3% do total de aparelhos fabricados; e 5%, a partir de 1º de janeiro de 2013 em diante.

Esses aparelhos deverão ser compatíveis com as especificações e normas do Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre (SBTVD), inclusive com o middleware Ginga. A portaria com o novo PPB e seus anexos foi publicado na edição de hoje do Diário Oficial da União.

Anterior NET marca assembléia para discutir reavaliação do valor das ações
Próximos Telefónica recorre a BID contra interconexão no México