S455_Selfie_Preto - smartphone positivoA fabricante de smartphones e computadores Positivo Informática reverteu o prejuízo de R$ 79,9 milhões em 2015 e voltou ao lucro no ano passado. A empresas divulgou na noite de ontem seu balaço financeiro, no qual colheu um lucro líquido de R$ 8,8 milhões.

O EBITDA, lucro antes de impostos e amortizações, passou de negativos R$ 2,8 milhões, para positivos R$ 147,7 milhões. A companhia também demonstrou uma melhora em sua saúde financeira, com relação dívida líquida/EBITDA Ajustado igual a 1,5x. Essa métrica era de 2,9x ao final de 2015.

Segmentos
A empresa conseguiu recuperar mercado no segmento de PCs, atingindo market share de 15,3% (+0,6 p.p.) em relação a um ano antes. Mas as vendas despencaram 44,5%. Foram 260 mil mil PCs vendidos em 2016, antes 468,5 mil em 2015. Os notebooks encolheram 13,8%, vendendo 748,9 mil unidades.

Ao mesmo tempo, seus celulares ganharam espaço, tanto no mercado, quanto no faturamento da companhia. A divisão já representa 38,7% das receitas trimestrais. No ano, a participação de mercado passou de 2,3% para 4,8%.

A companha faturou R$ 148 milhões só com a venda de celulares no quarto trimestre de 2016, 126,3% mais que no mesmo período de 2015. A Quantum já representa 43% da receita do grupo. Foram 2,32 milhões de celulares vendidos, 1,5 milhão de smartphones, e o restante, feature phones.

Para este ano, a empresa mantém perspectiva de crescimento na venda de celular, embora menos acentuado que em 2016. A Quantum será o carro chefe da expansão. A companhia também pretende lançar um produto de terminal de pagamento que, espera, ajude a alavancar as vendas de celulares.

A Positivo também espera melhora dos resultados em função da contratação, pela Seja Digital, do fornecimento de R$ 267 milhões em set-top boxes para a migração da TV Analógica para a Digital, atualmente em curso no país. A empresa tem expectativa de que o cliente faça novas rodadas de aquisição.

Ao mesmo tempo, aposta na expansão internacional. A Positivo tem operação na Argentina e no Quênia. No país africano, espera concluir o fornecimento de 324 mil computadores e tablets a estudantes, por programas públicos locais. A joint venture Positivo BGH, que atua no Mercosul, deve faturar US$ 100 milhões neste ano.

Outra novidade é a entrada no segmento de saúde, com lançamento de produtos de tecnologia médica. Estes produtos são fruto da compra, pela Positivo, de 50% da Hi Technologies, no começo de 2016.