Positivo implantará solução offline de aprendizagem em locais sem internet do AM


A Positivo Tecnologia assinou termo de colaboração técnica para instalar em escolas ribeirinhas e rurais, e em presídios do Amazonas uma solução educacional, integrada por hardware e software, que permite a estudantes e detentos o aprendizado de Língua Portuguesa e Matemática em ambientes de baixa ou nenhuma conectividade.

O acordo, firmado com a Secretaria de Estado de Educação e Qualidade de Ensino do Amazonas (SEDUC) e Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), foi assinado nesta terça-feira, 9 de abril, na sede da Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA), na presença do governador Wilson Miranda Lima.

As primeiras etapas do projeto serão o desenvolvimento de plataforma adaptativa off-line, que será integrada por conteúdos multimídia, como vídeos, videoaulas, atividades interativas, jogos e textos, além do mapeamento e seleção das instituições a serem contempladas. A previsão é que as soluções educacionais sejam disponibilizadas no começo do ano letivo de 2020.

A Positivo custeará o desenvolvimento das soluções educacionais e o suporte pedagógico para garantir os resultados pretendidos. Fica sob a responsabilidade da SEDUC e do TJAM a indicação das instituições nas quais o projeto será implantado, bem como o acompanhamento de todas as etapas e avaliação dos resultados.

No Amazonas, segundo o Censo Escolar/INEP 2018, apenas 48% das escolas dispõem de banda larga, não necessariamente para uso dos alunos. Nas escolas, as atividades serão realizadas como parte do planejamento pedagógico existente, pois os conteúdos da plataforma digital adaptativa estarão totalmente relacionados ao currículo do Ensino Fundamental. Quanto ao sistema carcerário, a Positivo espera que o projeto represente uma oportunidade para os detentos recuperarem conteúdos fundamentais para a formação cidadã e que os auxilie na reinserção social.

Durante todo o projeto serão avaliados e aferidos os impactos da utilização da tecnologia educacional na aprendizagem. A expectativa é que o impacto da ação contribua para a elevação do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), bem como dos resultados obtidos por meio do Sistema de Avaliação do Desempenho Educacional do Amazonas (SADEAM). (Com assessoria de imprensa)

Anterior Leilão da 5G na Alemanha já vale mais de € 4 bilhões
Próximos Trump vetará lei que restabelece a neutralidade de rede nos EUA