Portugal Telecom aumenta dívida com Espírito Santo em 2013 e admite erro


Por determinação da Comissão de Valores Mobiliários de Portugal, a Portugal Telecom publicou ontem à noite novo fato relevante, para explicar a sua “dívida de curto prazo” . No novo comunicado, a PT informa que terminou o ano passado com 750 milhões de euros gastos em títulos de curto prazo do Grupo Espírito Santo (GES), contra 500 milhões de euros de 2012.

Este aumento de quase 50% na dívida da PT foi explicitado  neste comunicado. Conforme a Portugal Telecom, que está em processo de fusão com a Oi, dos 750 milhões de euros aplicados no GES, (a) 500 milhões de euros foram subscritos pela PT Finance em 8 de novembro de 2013 e que foram liquidados na data de vencimento em 10 defevereiro de 2014 pelo respectivo valor nominal acrescido de juros; (b) 200 milhões de euros subscritos pela Portugal Telecom em 29 de outubro de 2013 e que foram liquidados na data de vencimento em 29 de janeiro de 2014 pelo respetivo valor nominal acrescido de juros; e (c) 50 milhões de euros subscritos pela PT Finance em 20 de novembro de 2013 e que foram liquidados pelo respetivo valor nominal acrescido de juros na data de vencimento em 20 de fevereiro de 2014,data posterior à de aprovação pelo Conselho de Administração do Relatório e Contas Consolidados (18 de fevereiro de 2014) e à de emissão da Certificação Legal das Contas Consolidados e do Relatório de Auditoria (19 de fevereiro de 2014).

Este recursos aplicados no grupo Espírito Santo representam 193% do resultado líquido da PT, enquanto no ano anterior essa participação era de 164%. A PT reconhece no comunicado que, “atenta a concentração em depósitos e aplicações de tesouraria no BES/GES, em 31 de dezembro de 2013”, a empresa “não estaria a observar uma efetiva diversificação” na sua política de investimento de caixa e títulos de curto prazo”.

PUBLICIDADE
Anterior Com SeAC, participação de conteúdo brasileiro sobe 18,8% na TV paga em 2013
Próximos Viber aposta em conteúdo para crescer