Porto Seguro Conecta quer prorrogar bill & keep para MVNOs


A Porto Seguro Conecta, operadora móvel virtual pertencente à seguradora de mesmo nome, gostaria de ampliar o prazo para o bill & keep, valor pago pela empresa para a interconexão com as redes de outras operadoras, aplicado no Brasil. Segundo Tiago Galli, superintendente da empresa, a medida ajudaria a fomentar o mercado de MVNOs, no qual figura sozinha.

Para ele, medidas como a obrigação de as operadoras (MNOs) realizarem ofertas públicas de referência, em todas as frequências, não trariam os mesmos resultados que prorrogar a cobrança assimétrica na interconexão. “As ofertas públicas de referência podem padronizar a oferta para as MVNOs, mas não necessariamente fomentar”, diz o executivo.

A melhor maneira, a seu ver, para a agência conseguir atrair novos players para este mercado seria com medidas estruturais. “A manutenção do bill & keep seria uma opção, já que é uma das formas de retirar distorções on-net”, frisa. A regra prevê, hoje, 75% – 25%, com escalonamento e fim da assimetria em 2019. Além da da Porto Seguro Conecta, Correios e Virgin Mobile estudam lançar operações virtuais, mas já adiaram as iniciativas.

“Acredito que a Anatel vem trabalhando e identificando oportunidades de melhoria. Temos expectativa de que a Anatel promova ajustes”, diz. Além do bill & keep, ele também se preocupa com o possível aumento do Fistel. Conta que, se houver, impactaria os custos e seria repassado ao consumidor. “Não estamos trabalhando com esta hipótese de aumento”, diz.

Crescimento
Enquanto isso, a Conecta colhe crescimento da base de usuários. A empresa possuía em junho 370 mil usuários, sendo 330 mil em conexões máquina-a-máquina (M2M) e 40 mil de assinantes de planos de voz e dados. A operadora registra crescimento mensal de 15% ao mês neste ano – em relação a maio de 2014, dobrou sua base.

Os resultados positivos vieram com expansão. Lançada em 2013 em Campinas, a operadora já atua nos DDDs 11, 12, 13, 19 e 21. A adição mais recente foi São José dos Campos (DDD 12), em maio. O crescimento da operação também guarda relação com a estratégia da Conecta, de ser um serviço adicional oferecido aos clientes usam o seguro ou o cartão de crédito Porto Seguro.

Atualmente, os assinantes da Conecta pagam a partir de R$ 99,90 por um plano de voz ilimitado, e conectividade de dados que vai de 1 GB a 10 GB. E é na oferta de telefonia que a operadora tem mais espaço para crescer. “O M2M cresce de forma inorgânica, depende da demanda da Porto Seguro, nosso principal cliente. Não é uma demanda que cresce em volume trimestralmente”, analisa.

Ele não comenta a receita da empresa, ainda considerada uma startup dentro do Porto Seguro, contabilizada junto com outras despesas, segundo o último balanço do grupo. Mas garante que o plano de negócios vem sendo cumprido à risca. “Acho que cada MVNO tem uma história muito particular. Diferente do massificado, que luta por todo tipo de cliente. Acredito que o MVNO funciona mais quando é complementar ao negócio principal”, ressalta.

Anterior Operadora dos EUA vai lançar streaming de vídeo com canais da TV paga
Próximos 68,7% dos usuários mudariam de operadora fixa

1 Comment

  1. Ediney
    14 de julho de 2015

    Essa é uma boa alternativa para termos mais opções do que as operadoras com serviços pífios que estão aí, a Vivo então está mortinha, tenho lido sobre a Porto Seguro, parecem ser uma boa operadora, quando chegarem em Ribeirão Preto vou aderir.