Portabilidade no telefone fixo é proporcionalmente maior do que no celular


 Na noite de segunda-feira, conforme a Associação Brasileira de Recursos em Telecomunicações (ABR Telecom), foi ultrapassada a marca de dois milhões de pedidos de troca de operadora com o mesmo número. Desse total, 1,468 milhão de pedidos foram efetitvados, dos quais 988,2 mil de usuários da telefonia móvel e 479,8 mil de assinantes da telefonia …

 Na noite de segunda-feira, conforme a Associação Brasileira de Recursos em Telecomunicações (ABR Telecom), foi ultrapassada a marca de dois milhões de pedidos de troca de operadora com o mesmo número. Desse total, 1,468 milhão de pedidos foram efetitvados, dos quais 988,2 mil de usuários da telefonia móvel e 479,8 mil de assinantes da telefonia fixa.

Embora em números absolutos a telefonia celular lidere a portabilidade, proporcionalmente é na telefonia fixa onde está havendo a maior migração de usuários. Isto porque, enquanto na móvel são mais de 157 milhões de clientes, na fixa eles não passam de 41 milhões. E as mudanças de operadora na fixa representam 33% da portabilidade, proporção bem maior na comparação das duas bases de clientes. Além disso,  em milhares de municípios brasileiros a portabilidade na telefonia fixa não existe, visto que os competidores estão presentes em pouco mais de 100 cidades brasileiras.

A portabilidade numérica começou a ser implantada no Brasil em 1º de setembro de 2008 e passou a ficar disponível para os 67 DDDs em 2 de março de 2009.

Anterior Comsat questiona teste de equipamentos do UCA
Próximos Economia brasileira incentiva o crescimento do e-commerce