Por falta de espectro, Índia adia a terceira geração celular.


O Departamento de Telecomunicações (DoT) do país (o equivalente ao Ministério das Comunicações do Brasil), pretendia que a 3G fosse lançada em 2007, mas teve que adiar o evento devido à indisponibilidade de freqüência (insumo indispensável à comunicação celular). De acordo com análise da consultoria Pyramid Research, a demanda por mais espectro é um problema …

O Departamento de Telecomunicações (DoT) do país (o equivalente ao Ministério das Comunicações do Brasil), pretendia que a 3G fosse lançada em 2007, mas teve que adiar o evento devido à indisponibilidade de freqüência (insumo indispensável à comunicação celular). De acordo com análise da consultoria Pyramid Research, a demanda por mais espectro é um problema na Índia, porque o crescimento acelerado do número de assinantes móveis e a escassez de freqüências resultou no super-congestinonamento das redes.

O mercado móvel indiano, cuja base de usuários deve chegar a 136 milhões de assinantes este ano, pode aumentar para 322 milhões em 2011, segundo a consultoria. Mas esse atraso, analisa, não deve ser visto pelas operadoras como uma limitação, mas como uma oportunidade, visto que “ganharam” mais tempo para formular uma estratégia adequada para as futuras condições do mercado, por exemplo, para novas ofertas de serviços de dados.

No Brasil, a expectativa das operadoras é que a licitação para a 3G seja feita pelo órgão regulador, a Anatel, em 2007.

(Da Redação)

Anterior Em 2007, número de usuários celulares chegará a 3 bilhões, prevê a Nokia.
Próximos China investe mais em pesquisa e desenvolvimento do que o Japão