Pontes promete produto revolucionário do Ceitec, para evitar privatização


O Ceitec agendou para sexta-feira o lançamento de produto inédito em parceria com multinacional. O secretário de Privatizações, Salim Mattar, reclamou que o ministro Marcos Pontes, do MCTIC, não deixa vendê-la.

Marcos Pontes visitou a sede do Ceitec em Porto Alegre logo após tomar posse / Foto: Ascom/MCTIC

Atualizada em 2 de abril

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, vai prestigiar mais uma vez o Ceitec, estatal de microeletrônica instalada em Porto Alegre (RS), que foi citada como foco de resistência à privatização da pasta pelo secretário de Privatizações do Ministério da Economia, Salim Mattar, em entrevista à revista Veja. Lançamento de produto inédito e reunião com novos parceiros da empresa serão realizados na sede do ministério em Brasília na próxima sexta-feira (6) .

O Tele.Síntese apurou que, na sexta-feira, às 10h, está prevista reunião do ministro com os representantes de novos parceiros e, logo em seguida, às 11h haverá o lançamento do novo produto. A estatal adiantou que o novo produto é revolucionário e tem a expectativa de gerar um impacto mundial, envolvendo a participação de uma multinacional.  Informou que os detalhes do produto e dos novos parceiros serão anunciados nos eventos.  

Em entrevista à revista Veja, Mattar citou a estatal como um dos pontos de resistência do ministro Marcos Pontes ao programa de privatizações. O secretário afirmou que o ministro “ tem 5 estatais (Correios, Correiospar, Telebras, Finep e Ceitec) e não quer privatizar nenhuma”. Questionada a respeito das declarações do secretário de Privatizações, a assessoria do MCTIC e da Ceitec não se manifestaram.

De acordo com a revista, o secretário citou que o presidente Jair Bolsonaro disse que vai privatizar tudo que for possível e que existe uma orientação clara nesse sentido. “Pode anotar aí: Júlio Semeghini, secretário-executivo do ministro diz que não vai privatizar nenhuma das estatais do Ministério da Ciência e Tecnologia”, afirmou Mattar.

O secretário também falou indiretamente do Ceitec: “Existem casos como o de uma estatal que deveria produzir um chip para monitorar os rebanhos. O tal chip, que é instalado na orelha do boi, nem é produzido no Brasil”.

Apoio de Pontes

No site do Ceitec, está em destaque notícia divulgada no dia 10 de janeiro, quando o ministro Pontes visitou a estatal. Na ocasião, ele afirmou que não procedia a informação de que confirmaria o fechamento do Ceitec.

Outra notícia publicada no site do MCTIC registra que, no dia 1º de fevereiro,  o secretário Júlio Semeghini reuniu-se com o presidente do Ceitec e representantes de empresas parceiras que utilizam soluções digitais da estatal.

A empresa pública atua em modernização de cadeias produtivas com base em semicondutores e microeletrônica. E afirma que há muito deixou de produzir só chip para rebanho.

O Ministério negou, no dia 2, que a iniciativa estivesse vinculada ao processo de privatização. 

Anterior Vivendi desiste de renovar conselho da Telecom Italia
Próximos Vieira: Parceria para a transformação digital do setor público

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *