Política industrial vai melhorar os investimentos da Oi


O presidente do grupo Andrade Gutierrez, um dos controladores da Oi, Otávio Marques de Azevedo, elogiou a política industrial do governo, embora seu grupo ou a concessionária não sejam diretamente beneficiados pelas medidas anunciadas. “O importante é que os tablets poderão ser vendidos com modens W-iFi mais baratos”, ressaltou.

O executivo afirmou que as medidas complementares, já antecipadas pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, e que irão desonerar a cadeia produtiva da banda larga brasileira, irão provocar impactos bastante positivos ao setor e ao país. Segundo ele, a Oi irá melhorar os seus investimentos com a aquisição de fibras ópticas e equipamentos mais baratos. As desonerações setoriais deverão ser anunciadas na próxima semana pelo ministro.

PGMC

Já o Plano Geral de Metas de Competição, lançado pela Anatel, foi criticado pelo empresário. Ele assinalou que há uma acirrada competição nos segmentos de telefonia celular, banda larga e TV por assinatura nas cidades onde há competidores instalados  “e, nos cinco mil municípios onde a Oi tem poder de mercado, ninguém quer chegar lá”.

Para Azevedo, a proposta da Anatel acaba estimulando o investimento ineficiente, pois obriga que as empresas com poder de mercado invistam na ampliação das redes “na expectativa de que vai aparecer alguém”. No seu entender, a Anatel poderia, ao invés disso, obrigar a Oi a oferecer serviços onde ela ainda não chegou. “O consumidor quer serviço, preço e qualidade”, concluiu.

Anterior Dilma prevê um longo período de tensão econômica no mundo
Próximos Telebras e Dataprev assinam termo de cooperação