Polícia Federal faz busca na sede da Ancine, no Rio


Seis agentes da Polícia Federal deixaram hoje, 19,  a sede da Agência Nacional de Cinema (Ancine), no Centro do Rio, cumprindo um mandado de busca e apreensão, procurando “documentos, mídias e outras provas” nos gabinetes de Christian de Castro, diretor-presidente da agência, e de mais quatro pessoas.

No mandado, expedido no dia 22 de novembro, a juíza Adriana Alves dos Santos Cruz, da 5ª Vara Federal Criminal do Rio, determina que sejam vasculhados salas, armários e estações de trabalho não apenas de Christian de Castro, mas também de seu assessor, Magno de Aguiar Magalhães Júnior; de Ricardo Alves Vieira Martins, da secretaria executiva da agência; da ouvidora Carolina de Lima Cazarotto Pereira; e do advogado Marcos Tavolari, que atua como secretário de Direitos Autorais e Propriedade Intelectual no Ministério da Cultura. Carolina está em licença maternidade.

Em nota, a Ancine informa que ainda não sabe o motivo da investigação e que “assim que mais detalhes forem fornecidos, informará a sociedade, os entes regulados e os servidores com a maior transparência, conforme tem sido a nova gestão. E tomará as medidas cabíveis que se fizerem necessárias”. Ainda segundo a nota, a agência está à disposição da Polícia Federal “para contribuir integralmente com a investigação”. (com agência Globo)

Anterior Proposta de norma de arrecadação da Anatel entra em consulta pública
Próximos Anatel publica preço de referência para VU-M e EILD a partir de 2020