Plano de proteção contra acidentes para smartphones já atende 13 estados


Criado para os brasileiros apaixonados por smartphones, o Clube Pitzi, empresa que oferece planos de proteção contra acidentes para smartphones e celulares via internet já atua em 13 estados do país e, até final de 2014, planeja estar presente em todo o Brasil. Atualmente em São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Minas …

Criado para os brasileiros apaixonados por smartphones, o Clube Pitzi, empresa que oferece planos de proteção contra acidentes para smartphones e celulares via internet já atua em 13 estados do país e, até final de 2014, planeja estar presente em todo o Brasil. Atualmente em São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Minas Gerais, Espírito Santo, Tocantins, Goiás, Brasília, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Ceará e Pernambuco, o serviço registra crescimento de sua base de clientes de 50% ao mês.

De acordo com o fundador da empresa Daniel Hatkoff, uma das principais alavancas para o crescimento é a relação dos brasileiros com o celular. “Os brasileiros são apaixonados por celular e não querem ficar um dia sequer sem o aparelho. Como as assistências técnicas demoram mais que cinco dias úteis para consertar um aparelho, prazo máximo com o qual a Pitzi opera, mais e mais gente quer contar com nosso serviço de proteção”, relata.

A outra alavanca para o consumo do serviço é a taxa de quebra de aparelhos. Segundo pesquisa realizada pela própria Pitzi, a quebra de aparelhos é três vezes mais comum que roubo e furto. “O consumidor já percebeu que deixar cair o aparelho no chão, por exemplo, é mais fácil de ocorrer do que um roubo ou furto. Como o investimento em um smartphone é grande, ele percebe também a importância de contar com uma proteção como a dada pelo Pitzi”, enfatiza Daniel.

Pesquisa da própria Pitzi aponta que 80% das falhas de celulares são causadas por acidentes, como a quebra de tela e teclados. Para solucionar as falhas, a companhia conta com uma equipe capaz de resolver em, no máximo, cinco dias, as falhas dos aparelhos.(Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Google pode usar nomes e fotos de usuários em anúncios
Próximos Telit lança módulos para LTE