Plano de banda larga da FCC prioriza serviços


A FCC (Federal Communications Comission) que elabora um plano de banda larga para os Estados Unidos, a pedido do congresso daquele país, trabalha com o conceito de que a próxima geração de serviços de saúde, educação, energéticos (smart grid) dependem da banda larga. Smart grid é uma rede inteligente com serviços de telemetria que acompanham …

A FCC (Federal Communications Comission) que elabora um plano de banda larga para os Estados Unidos, a pedido do congresso daquele país, trabalha com o conceito de que a próxima geração de serviços de saúde, educação, energéticos (smart grid) dependem da banda larga. Smart grid é uma rede inteligente com serviços de telemetria que acompanham a demanda e permitem à companhia elétrica cobrar custos diferenciados de acordo com o horário do consumo, otimizando o uso da rede, investimento, etc.

“A crise econômica forçou o congresso a agir e isso resultou no ato que deu ao FCC a tarefa de escrever um plano de banda larga, que será entregue ao congresso em fevereiro”, contou Meredith, que participou hoje de um debate promovido pela Telcomp/Brasscom, em São Paulo, para debater Concentração e Concorrência no setor de telecomunicações.

A FCC recebeu do congresso um aporte de US$ 4,7 bilhões e a tarefa de desenvolver um plano que assegure acesso a banda larga a  todos os americanos. “A estratégia é maximizar a infraestrutrura, não se poderá construir onde já existe (rede). E queremos um plano mais baseado em dados do que na visão dos advogados”, informou Meredith. Ela enfatizou que o plano busca identificar áreas não atendidas, fazer pesquisa sobre a renda dos cidadãos, a tecnologia e fazer uma comparação internacional. O objetivo final, destacou, é levar o serviço de banda larga para as áreas ainda não atendidas, aumentar sua velocidade e reduzir preços.

Anterior Banco do Brasil lança serviço de auto-atendimento via Claro
Próximos ZTE apresenta celular com tecnologia NFC