Planejamento faz licitação de R$ 208 milhões de videoconferência e redes de telecom


A licitação de videoconferência prevê que 809 salas de comunicação remota sejam montadas em 81 cidades até março de 2016. A de ativos de redes inclui switches, entre os 2.889 produtos listados.

O Ministério do Planejamento (MP) divulgou nesta terça-feira (10), no Diário Oficial da União (DOU), duas licitações para a aquisição conjunta de equipamentos de videoconferência e de ativos de rede. A primeira compra envolve a participação de 61 órgãos e prevê que 809 salas de comunicação remota sejam montadas em 81 cidades até março de 2016. Já o segundo processo licitatório contará com 37 entidades participantes e atenderá 39 municípios. O valor estimado para esse processo de compra é de R$ 169 milhões.

Para o secretário de Logística e Tecnologia da Informação, Cristiano Heckert, a compra compartilhada de bens comuns de Tecnologia da Informação e Comunicações (TIC) qualifica os gastos públicos e é uma ação para modernizar a gestão. “Vamos realizar duas licitações em vez de 114 processos, o que vai gerar uma enorme economia para os cofres públicos tanto na eficiência do processo quanto no ganho de escala”, enfatiza o secretário. Os editais foram elaborados numa parceria da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) com a Central de Compras e Contratações do Governo Federal.

Ativos de rede

Os ativos de rede englobam equipamentos como switches. Sua função é estabelecer nos órgãos públicos a infraestrutura necessária para a comunicação de dados interna e externa. Serão adquiridos 2.889 produtos nesta compra conjunta, com um gasto estimado em R$39,3 milhões. ( assessoria de imprensa). 

 

A aquisição tem o objetivo de atualizar os padrões tecnológicos tanto em relação aos aspectos de segurança da informação quanto em relação ao Protocolo de Endereçamento de Internet na versão seis (IPv6). Uma das funcionalidades do protocolo é identificar os usuários da rede mundial de computadores. A adequação a este procedimento garante a continuidade do fornecimento de serviços eletrônicos, pois os endereços públicos na versão anterior, o IPv4, estão esgotados.

 

Ata de registro de preços

Todas as adesões às atas de registros de preço devem ser registradas e divulgadas pelos órgãos públicos no Portal de Compras do Governo Federal (Comprasnet), que é gerenciado pela SLTI. O quantitativo decorrente das adesões posteriores não poderá exceder, na totalidade, ao quíntuplo de cada item da ata de registro de preços. Cada órgão que venha a realizar a adesão poderá contratar até 100% do total registrado para cada item.

Anterior Frequências de MMDS da NET vão a leilão da Anatel
Próximos Para Oi, permuta evita briga judicial com a PT SGPS