(Crédito: Shutterstock/Thep Urai)

Com as mudanças aprovadas hoje, 12,  pela Anatel no Plano Geral de Metas de Competição (PGMC), a Oi passa a ter mais fôlego para competir no mercado de celular no estado de São Paulo e nos estados da antiga área de concessão da Brasil Telecom – Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Acre, Rondônia, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal.

Isso porque a Oi deixa de ser enquadrada com Poder de Mercado Significativo (PMS), nessas duas regiões,  o que significa que não vai precisar mais pagar pela taxa de interconexão ( VU-M) para entregar o tráfego de sua rede para as redes das outras operadoras móveis. Essa é uma economia significativa, que poderá permitir a operadora a oferecer pacotes de preços  mais competitivos nessas regiões, ou mesmo aumentar a sua rentabilidade.

Na região original da Telemar (os demais estados do Norte, Sudeste e Nordeste), a Oi, por ter participação relevante na telefonia móvel, continua a ser enquadrada pela Anatel com poder de mercado no segmento de acesso de telefonia  móvel.