Pesquisa revela que um quarto dos usuários de celular mudará de operadora


Uma interessante pesquisa sobre hábito dos usuários de telecomunicações acaba de ser divulgada pela consultoria inglesa Ovum. As operadoras, de acordo com o levantamento realizado em nível global, vão ter que suar a camisa para manter uma boa parte de seus usuários de telefonia móvel nos próximos 12 meses. 25% dos respondentes declararam que com certeza vão mudar de provedor nesse intervalo de tempo, enquanto outros 25% dizem que poderão, ou não, trocar de prestadora.

A principal razão alegada pelos usuários para trocar de operadora é a qualidade da banda larga móvel. “Estar online é de longe a coisa mais importante para na vida dos consumidores de mídias digitais”, esclarece Angel Dobardziev, diretor da Ovum. “Quando pedimos aos usuários para pontuar uma lista de atividades na escala de essencial a desimportante, navegar na internet veio no topo, mencionada por seis em cada dez respondentes como essencial. Uma velha atividade favorita como ver TV foi citada por três em cada grupo de dez, atrás da leitura de notícias (50%), de livros (45%) e de ouvir música (42%).”

A pesquisa conduzida pela Ovum cobriu os 15 maiores mercados de telecom, ouvindo 15 mil consumidores individuais e 2,7 mil empresas. Infelizmente não há dados separados para o Brasil, mas a realidade não deve ser muito diferente. 37% dos respondentes declaram que trocaram de operadora ou pretendem trocar por causa da velocidade da banda larga. Operadoras de ponta como Vodafone, na Alemanha, ou NTT DoCoMo no Japão têm usuários mais fieis do que a indiana Airtel ou a coreana LG U+, segundo o coordenador da pesquisa.
Outro dado curioso é que os usuários de iPhone são mais suscetíveis ao churn do que usuários de outras marcas de smartphone. Ou seja, perseguem mais o aumento da velocidade no acesso a dados.

Diante desse cenário de volatilidade da base de clientes em função do elevado churn, Dobardziev, que é especializado no mercado de telefonia móvel, recomenda às operadoras mergulharem fundo para entender as razões dessa propensão dos usuários em trocar de provedor. Considera importante também uma análise do churn nos diferentes segmentos de mercado da telefonia móvel e a busca de mais qualidade da banda larga com o objetivo de reter os clientes.

Anterior Iniciativa NETmundial continuará debate sobre governança da internet
Próximos Vivo começa hoje a cobrar pelo fim da franquia da internet em MG e RS