Pesquisa da Acision mostra crescimento do SMS até 2016, mas receita cai.


Até 2016, o uso de SMS continuará subindo, mas em velocidade menor que os serviços de mensagens instantâneas (IM, na sigla em inglês), ofertados pelas empresas Over The Top. Como resultado disso, a receita com o serviço de mensagem das operadoras deve cai. Em 2011 as operadoras contabilizaram R$ 110 bilhões. E em 2016, a receita prevista das OTTs é de R$ 20 bilhões.

Esses são alguns dos dados da pesquisa apresentada nesta quarta-feira (10) pela Acision, durante a Futurecom 2012, que acontece até amanhã no Rio de Janeiro. De acordo com a presidente da empresa para América Latina, Fátima Raimondi, ainda há possibilidade de aumentar a receita das operadoras com esse serviço, desde que apresente inovações. Ela constatou que o crescimento do uso do SMS foi sustentado principalmente pelo lançamento dos planos ilimitados pelas operadoras e pela adoção de planos de mensagens curtas mais baratos.

Para Fátima, o crescimento das OTTs é fato, mas pode se tornar insustentável porque não têm modelos de negócios. Ela acredita que boa parte das pessoas que usam aplicativos de OTTs voltariam para o SMS das operadoras se o serviço fosse mais barato. “Na pesquisa da Acision ficou claro que mesmo os usuários de smartphones valorizam o SMS”, afirmou.

Anterior Dois anos de regulação, e o MVNO não deslancha no Brasil.
Próximos Celpe define tecnologias do piloto de smart grid em Fernando de Noronha