Paulo Cesar Teixeira e Mariano de Beer passam a tocar as operações brasileiras da Telefônica


Antonio Carlos Valente acumula as funções de presidente da diretoria da Telesp, da Vivo, além de se manter como presidente do grupo Telefônica no Brasil e o CEO será Luis Miguel Gilpérez

Os Conselhos de Administração da Vivo Participações S.A., Vivo S.A. e Telecomunicações de São Paulo S.A. – Telesp aprovaram hoje a nova estrutura de gestão da Telefônica no Brasil.
A nova estrutura privilegia a integração dos negócios fixo e móvel e organiza as operações comerciais em duas unidades: uma de Mercado Individual, que inclui os segmentos Individual e Residencial, e será liderada por Paulo Cesar Teixeira, atual Vice-Presidente Executivo de Operações da Vivo; e outra de Mercado Empresas, que terá no comando Mariano de Beer, atual Diretor Geral da Telesp, e que reúne os segmentos de Grandes Clientes Corporativos, de Pequenas e Médias Empresas e Atacado.
 
O CEO desta empresa integrada será Luis Miguel Gilpérez, reportando diretamente aos Conselhos de Administração de Vivo e Telesp. Ele é um dos mais experientes executivos da Telefônica e terá a missão de liderar a integração dos negócios fixo e móvel e do gerenciamento da companhia no dia-a-dia, assim como de definir a visão de longo prazo da Telefônica Brasil.Foi Diretor Geral de Negócios Móveis  da Telefônica Internacional,  é  Presidente do Conselho de Administração da Vivo desde 2007 e membro do Conselho da Telesp desde 2010.
 
Antonio Carlos Valente será o Presidente da Diretoria da Telesp e da Vivo e permanece como Presidente do Grupo Telefônica no Brasil e Presidente do Conselho de Administração da Telesp. Com a nova dimensão e maior relevância do grupo Telefônica no País, Valente tem a missão de garantir a governança em todas as companhias, dar suporte aos diferentes negócios do grupo nas funções corporativas, além de representar a empresa junto ao governo, sociedade, órgãos reguladores, imprensa e demais instituições. A Telefônica é o grupo líder de telecomunicações no País, congregando além de Vivo e Telesp, outras 14 empresas como o portal Terra e a empresa de contact center Atento, além da Fundação Telefônica.
 
Esta estrutura vai permitir a Telefônica aproveitar todos os ganhos da atuação integrada das empresas Vivo e Telesp, avançando em direção a ofertas convergentes de serviços de telecomunicações e internet em banda larga,  utilizando as tecnologias móvel e fixa, inclusive fibra óptica, além de TV por assinatura. A Telefônica Brasil quer ser uma empresa que não apenas captura valor em mercados já estabelecidos, mas que cria valor para todos os stakeholders, elevando o mercado a um patamar superior.
 
Com a compra da Vivo, a Telefônica passou a ser a companhia líder do setor de Comunicações no Brasil, com presença nacional, mais de 76 milhões de clientes e receita líquida da ordem de R$ 36 bilhões em 2010. Também está entre os maiores empregadores brasileiros, com mais de 100 mil contratados diretos. Em março, o presidente mundial da Telefônica, César Alierta, anunciou investimentos no Brasil de R$ 24,3 bilhões, para o período entre 2011 e 2014. ( Assessoria de imprensa)

Anterior SindiTelebrasil: aumento da velocidade nas escolas depende de avaliação de teles
Próximos Reclamações contra serviços de telecom recuam em março