Paulo Bernardo já admite necessidade de financiamento do PGMU


O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, que em janeiro assume a pasta das Comunicações, admitiu, nesta quarta-feira (15), a possibilidade de indicar fontes de financiamento para as novas obrigações incluídas no PGMU 3. Ele ressaltou, porém, que qualquer decisão sobre esse tema terá que passar por consulta prévia ao Ministério da Fazenda.

“Não me atreveria a discutir questões de impacto orçamentário sem falar com a Fazenda. Mas aí estarei falando na posição de futuro ministro das Comunicações”, disse Bernardo, que participou hoje do balanço do governo Lula, no Palácio do Planalto.

O ministro também criticou a atitude das teles de questionar o governo na justiça e disse que só concordou em adiar a assinatura da revisão dos contratos de concessão, que impõem as novas metas de universalização, para evitar uma “briga interminável” com as operadoras.(Da redação)

Anterior Oi e Telefônica lamentam o adiamento do PLC 116
Próximos Oi começa a distribuir R$ 192,56 milhões de dividendos