Patch Cords têm que ser certificados pela Anatel


Patch Cord são cabos de manobra ou de interconexão usados em cabeamento estruturado no arranjo físico de conexão (crossconnect entre patch panels interconexão patch panel e switches) e/ou na área de trabalho para ligação entre equipamentos e tomada de rede.    

O Patch Cord 4 pares, conectorizado com plug RJ45, é parte integrante do canal de transmissão e tem que apresentar os melhores desempenhos possíveis a fim de garantir a performance do canal de ponta-a-ponta.

Os usuários de soluções de TI e Telecom esperam do produto a conformidade com os padrões de qualidade e segurança.

Muitos produtos importados de baixíssima qualidade, informais e não certificados, são encontrados no mercado, especialmente no varejo. Estes produtos normalmente apresentam múltiplos desvios, a exemplo de más conexões (falha de contato entre o conector e a placa de rede do computador, ou falha de contato entre o cabo e o conector). Também podem trazer cabo não especificado (sólido e não flexível), ou conectores inadequados (para cabos flexíveis não compatíveis com cabos sólidos), apresentando performances muito inferiores às dos produtos montados e certificados de fábrica.

Nesse sentido, a Anatel regulamentou que os Patch Cords comercializados a partir de 30 de novembro de 2007 devem atender aos requisitos mínimos da norma EIA/TIA 568-B.2 (Categoria 5e) e 568-B.2-1 (Categoria 6). Estas normas exigem que os Patch Cords sejam testados em condições de estresse mecânico, tendo que ultrapassar os limites mínimos de NEXT e de Perda de Retorno.
 
NEXT

Também conhecido como paradiafonia, interferência causada em um receptor local por um transmissor local, provoca uma falha no canal que sofre a interferência e, portanto, perda de informações. O efeito da diafonia é mais notável em freqüências mais altas.

Perda de Retorno

A medida representa o impacto dos valores incorretos de impedância característica ao longo de um segmento de cabo. Outras fontes de perda de retorno, mais significativas na prática, são as conexões, ou seja, perdas devido aos conectores utilizados nas terminações dos segmentos de cabos e suas montagens.

Uma conseqüência da perda de retorno, em comunicação digital, é a variação aleatória das bordas dos pulsos digitais em torno de suas posições “ideais” (jitter de fase), responsável pela geração de atrasos não uniformes nos diversos componentes de freqüência do pulso digital transmitido. Estes atrasos são responsáveis pela interferência inter-simbólica, que caracteriza a capacidade do receptor de discriminar 0 e 1 depois de uma transmissão que alterou e deformou os bits.

A perda de retorno é fator limitante de desempenho de um sistema de comunicação digital que utiliza como meio cabos metálicos.

A não certificação do Patch Cord gera uma diminuição das performances do canal inteiro, por isso é requerido o uso de Patch Cord certificados pela Anatel.

Para mostrar os efeitos nefastos de um Patch Cord não-certificado, foram executados testes sobre amostras coletadas no mercado de 2,5 m Categoria 5e em novembro/2007. Os testes foram feitos a partir de um cabo sólido conectorizado em campo (“Patch Cord Sólido”), mais amostras de Patch Cords com cabos flexíveis sem certificação Anatel e amostras com patch cord flexível certificado Anatel.

Avaliação por Component Level

Os testes realizados no Laboratório de Component Levels da Furukawa são feitos com o uso de recursos especiais para medições de componentes. O laboratório tem por objetivo avaliar a performance elétrica do componente e com grande precisão. As medidas realizadas neste teste são de Return Loss e Next, para medição de Patch Cord.

No teste Component Level, os Patch Cords foram medidos esticados. Nas piores medidas de NEXT (influência do par 1 sobre o par 3) foi possível comprovar o efeito de se utilizar um patch cord sem os componentes (cabo, conectores, terminações), sem mão-obra e/ou equipamentos de testes de certificação adequados. Nessas condições, as performances dos patch cords ficaram fora dos limites aceitáveis e a transmissão de dados ficou mais lenta, causada pela geração de erros de bits, o que leva ao reenvio de pacotes, gerando prejuízos.

Patch Cords não certificados apresentam também resultados acima do limite de Perda de Retorno. A qualidade de transmissão é assim afetada pela má qualidade do Patch Cord, o qual prejudica a instalação completa.

Entre os produtos testados, foi possível observar que alguns produtos atendem aos requisitos (limites) de NEXT, porém, não atendem aos requisitos de perda de retorno.

Estresse Mecânico

Os testes com estresse mecânico também devem ser realizados para se garantir desempenho superior. Esses testes permitem a medição dos produtos considerando condições de instalação reais críticas (raios de curvaturas, torções).

As medidas de testes foram realizadas com equipamentos de teste em campo (tipo Fluke com módulos apropriados a medidas de patch cords) em várias configurações.

A primeira etapa consiste em uma medida do Patch Cord esticado. A segunda etapa é enrolar o cordão ao lado de um mandril de 15 cm de diâmetro até fazer o número máximo de voltas. A terceira etapa consiste em se formar uma elipse (o Patch Cord sendo ainda enrolado) e a última etapa onde é feito uma figura tipo 8 (Patch Cord sendo também enrolado).    

Com o teste, podemos ver que todas as amostras de Patch Cords Certificados Anatel passam em cada uma das etapas; já os Patch Cords não certificados apresentam falhas nos testes ligados a Perda de Retorno e/ou NEXT.

O uso de Patch Cords certificados se torna indispensável em qualquer canal de comunicação. Patch Cords Certificados pela Anatel têm melhor desempenho e garantem maior satisfação dos usuários, além de serem requisito obrigatório pela legislação vigente.


Engenheiro do Departamento Técnico de Networking da Furukawa

Anterior Setor eletroeletrônico mantém crescimento em fevereiro
Próximos Anatel não vai mais à justiça para cobrar dívida pequena