Partidos de oposição questionam o código fonte das eleições


Os códigos fontes utilizados pelo Tribunal Superior Eleitoral nas eleições gerais são vulneráveis, afirmaram hoje especialistas indicados pelos partidos de oposição – como o PDT e PSDB – na comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados, em audiência pública realizada hoje. O TSE não enviou representantes para a audiência.

Segundo o auditor do PDT,  Gabriel Gaspar, existe um programa no sistema de segurança do TSE- conhecido como “ Inserator”- , que é vulnerável e está sendo usado pelo tribunal para autenticar programa. “Com este sistema, posso pegar a chave, decifrar e instalar meu programa e ele vai passar  no sistema como se fosse o oficial”, afirmou Gaspar.

A advogada do PDT, Maria Aparecida Cortiz, disse que um dos problemas das eleições brasileiras é que a justiça eleitoral é a julgadora e a ré. “A justiça decide o laudo e a auditoria. Não vamos conseguir provar que os sistemas são vulneráveis pois o juiz não vai aceitar. Teremos que usar a técnica de camuflagem, temos que driblar a justiça eleitoral”, concluiu.

O professor da Universidade de Brasília, Pedro Rezende, acusou a contratação sem licitação da empresa que desenvolve os sistemas de segurança, a SamartMatic, por mais de oito anos seguidos. Representantes da plateia acusaram a empresa de ser de propridade de “venezuelanos” a mando de “cubanos.”

Anterior Unotel quer chegar a 900 provedores regionais parceiros até 2017
Próximos Aneel aprova regras para compartilhamento de poste com telecom