Parks e PT fecham parceria para ampliar presença no mercado brasileiro


As fabricantes de equipamentos para telecomunicações, Portugal Telecom (PT) Inovação e Parks, anunciaram hoje parceria para engenharia, produção e comercialização de sistemas de telecomunicações. O objetivo da parceria é ampliar o leque de ofertas de soluções para operadoras, além da fabricação de equipamentos e sistemas, e colaboração em pesquisa e desenvolvimento para novos produtos. “Não …

As fabricantes de equipamentos para telecomunicações, Portugal Telecom (PT) Inovação e Parks, anunciaram hoje parceria para engenharia, produção e comercialização de sistemas de telecomunicações. O objetivo da parceria é ampliar o leque de ofertas de soluções para operadoras, além da fabricação de equipamentos e sistemas, e colaboração em pesquisa e desenvolvimento para novos produtos. “Não é uma parceria de simples comercialização, a Parks não vai ser apenas uma revenda, mas vai co-desenvoler os produtos, fabricá-los, e dar suporte a todas as soluções que vão pertencer à família Parks”, salienta Jonathan Frata, gerente de produtos da Parks.

Ele conta que as conversas foram iniciadas em outubro do ano passado, “quando descobrimos que as empresas tinham muito em comum, e resolvemos unir estas afinidades para trabalhar o mercado brasileiro, que apresenta demanda de muitos produtos que constam no porfólio da PT, como soluções na aéra de DSLAMs, ótica, NG-SDH, dentre outras”. A Parks, por sua vez, possui tecnologias em cobre, roteadores para pequenas e médias empresas e tecnologia em WiMAX que interessam à PT e ao mercado europeu, explica Frata. “E poderemos trabalhar juntos não só no mercado europeu, mas em outros países de língua portuguesa nos quais a PT atua, como por exemplo Angola, que está passando por um processo de reconstrução, e para reconstruir a rede de telecom é mais fácil utilizar tecnologia sem fio, nas quais somos fortes”, destaca o executivo.

O primeiro produto da parceria a ser inserido no mercado brasileiro será de DSLAM, “até pela necessidade do governo de responder ao projeto de atender todas as escolas do país com uma conexão banda larga”, diz Frata. No mês de maio a empresa lançará uma família de produtos, com ofertas tanto para para conectivadade em localidades remotas e distantes, com poucos usuários, até equipamentos de grande porte, para o mercado de operadoras. O executivo destaca que a princípio a parceria é para o desenvolvimento de produtos, mas não está descartada a entrada, futuramente, para o segmento de serviços. A empresa já possui lançamentos programados nas áreas de fibra ótica e metro ethernet, e está avaliando outras áreas, como o mercado de IMS.

Anterior Para SLTI, software livre rende negócios ao país
Próximos Congresso Nacional atento ao aumento das queixas contra TV por assinatura