Parceria Finep e Porto Digital em PE


A Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) colocou em operação no estado de Permabuco o Programa Juro Zero, que pretende beneficiar cerca de 2.500 empreendimentos nacionais nos próximos 30 meses. Pernambuco é o terceiro estado a receber o Programa, que já está em operação no Paraná e na Bahia. Até o fim do ano, outras duas regiões …

A Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) colocou em operação no estado de Permabuco o Programa Juro Zero, que pretende beneficiar cerca de 2.500 empreendimentos nacionais nos próximos 30 meses.
Pernambuco é o terceiro estado a receber o Programa, que já está em operação no Paraná e na Bahia. Até o fim do ano, outras duas regiões serão contempladas. Em Minas Gerais, o programa começa a operar no dia 7 de dezembro e, na Grande Florianópolis, em data a confirmar. Além disso, já existem negociações para que, no início de 2006, o Juro Zero seja
implementado em outras localidades, operações que serão analisadas caso a caso.
Serão investidos R$ 20 milhões por região, divididos em financiamentos que variam entre R$ 100 mil e R$ 900 mil por empresa. No total, serão R$ 100 milhões oriundos do Fundo de Amparo ao Trabalhador – FAT. Em cada localidade, foram selecionadas instituições que funcionarão como parceiros estratégicos. São elas: o Porto Digital, em Recife, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia, a Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia, a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais e a Federação das Indústrias do Estado do Paraná.
Foco em TI

Das cinco primeiras localidades contempladas, Pernambuco será a única a ter foco setorial. A aposta é na Tecnologia da Informação, fato explicado devido a parceria com o Porto Digital, arranjo produtivo que reúne 54 empresas de TI. A vocação da região é confirmada por dados da Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco, que indicam o setor como responsável por 3,5% do PIB do estado.
Segundo Valério Veloso, presidente do Porto Digital, a carteira de projetos apoiados em Pernambuco será bastante diversificada no que diz respeito ao valor dos financiamentos. "Mas não apoiaremos menos de 40 empresas", afirma.
O sistema bancário atual, além de cobrar altas taxas de juros, em média 2,5% ao mês, exige garantias reais, o que impede pequenos empreendimentos de contrair empréstimos convencionais. "Por isso, construímos uma composição alternativa de garantias para avalizar o financiamento", explica Eduardo Costa, superintendente da Área de Pequenas Empresas Inovadoras da FINEP.
Desconto

Os sócios da empresa proponente vão afiançar 20% do total. Além disso, em cada empréstimo, haverá um desconto antecipado de 3% no valor liberado aos empreendimentos, recursos que criarão um fundo de reserva correspondente a 30% do total de financiamentos. Após a quitação do empréstimo e caso não haja inadimplência, essa taxa, corrigida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA , será devolvida às empresas. Os 50%restantes serão assegurados por Fundos de Garantia de Crédito criados pelos agentes locais
em cada uma das regiões escolhidas.
Dirigido a empreendimentos inovadores, com faturamento anual de até R$ 10,5 milhões, o Programa oferece financiamentos corrigidos apenas pelo IPCA, mais 10% ao ano a título de "spread". Porém, enquanto a empresa se mantiver em dia com os pagamentos, o "spread" será integralmente subsidiado com recursos do Fundo Verde e Amarelo.
Fonte: assessoria de imprensa, Finep

Anterior Pantech anuncia produção local em 2006
Próximos Hispasat coordena projeto de pesquisa em banda larga