Para SLTI, software livre rende negócios ao país


O secretário de Lógistica e Tecnologia de Informação do Ministério do Planejamento, Rogério Santanna, disse  que o software livre é uma grande possibilidade de mercado para empresas brasileiras e que o governo deve incentivar a criação delas. “Entendemos que essas empresas devem ter o foco na prestação de serviços e não para prender o usuário …

O secretário de Lógistica e Tecnologia de Informação do Ministério do Planejamento, Rogério Santanna, disse  que o software livre é uma grande possibilidade de mercado para empresas brasileiras e que o governo deve incentivar a criação delas. “Entendemos que essas empresas devem ter o foco na prestação de serviços e não para prender o usuário a um código”, reforçou.

Santanna, que participou hoje do lançamento do novo Portal do Software Livre do governo, relatou o sucesso já alcançado pelo middleware Ginga (que permite o desenvolvimento de aplicações interativas para a TV Digital de forma independente da plataforma de hardware dos fabricantes de terminais de acesso) e pelo programa Cacique (sistema de gestão, focado no apoio a tomada de decisões) no mercado externo. “O Cacique tem sido adotado por muitas empresas, inclusive a prefeitura de Montevidéo, no Uruguai, teve que contratar uma das 500 empresas cadastradas para sua implantação”, disse.

O redesenho do portal foi coordenado pela SLTI, que passará a administrá-lo, no lugar do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), com o apoio do Serpro. O destaque vai para as 14 soluções das comunidades do software aberto, incluindo a do Ginga e a do Cacique. O novo portal substitui o que funciona atualmente no endereço www.softwarelivre.gov.br

Anterior Oi lança Oi TV com pacotes convergentes
Próximos Parks e PT fecham parceria para ampliar presença no mercado brasileiro