Para presidente da Vivo, queda na produção de celulares é preocupante.


A queda na produção de aparelhos celulares, estimada em 30% neste início de ano, é preocupante para o setor, segundo o presidente da Vivo, Roberto Lima. “O impacto é maior para a indústria do que para as operadoras, mas isso nos preocupa”, afirmou hoje o executivo. Ele lembrou que a indústria de celulares no país …

A queda na produção de aparelhos celulares, estimada em 30% neste início de ano, é preocupante para o setor, segundo o presidente da Vivo, Roberto Lima. “O impacto é maior para a indústria do que para as operadoras, mas isso nos preocupa”, afirmou hoje o executivo. Ele lembrou que a indústria de celulares no país evoluiu, passou a exportar aparelhos celulares e ganhou escala. Uma crise no setor significa “perder essa escala, ter preços mais altos e uma queda na evolução tecnológica dos produtos”, avaliou, na coletiva em que anunciou os resultados trimestrais e consolidados da Vivo.

Segundo ele, a operadora estava com etoque elevado no final do ano para suprir a demanda do mercado, mas no último trimestre já negociou preços dos aparelhos com os fabricantes e no primeiro trimestre do ano voltou a fazer encomendas, porém, de aparelhos mais sofisticados, como smartphones e aparelhos com telas digitais. “Os preços estão mais altos e isso significa que teremos que ter uma política de subsídios ou haverá redução no volume de vendas”, comentou. Lima acredita que a troca de aparelhos será também menor e que o mercado deve se sustentar mais à base de venda de chips.

Anterior Certificação de equipamentos para WiMAX novamente adiada
Próximos Juniper e Nokia Siemens ampliam parceria