Para presidente da Contic, Sistema S de telecom coincide com proposta do governo


Edgar Serrano: destinação de recursos para combater a violência / Foto: Gabriel Jabour (Tele.Síntese)

A criação do Sistema S do setor de telecomunicações deverá ter apoio do governo de Jair Bolsonaro porque coincide com a proposta do ministro da Economia, Paulo Guedes, de formar mão de obra. Esta foi a opinião apresentada por Edgar Serrano, presidente da Contic (Confederação Nacional da Tecnologia da Informação e Comunicação) no Encontro Tele.Síntese. O evento é realizado pela Momento Editorial, e aconteceu hoje, 9, em Brasília.

“Não vamos construir hotéis de luxo nem prédios. O ministro não quer que 80% dos recursos do Sistema S sejam aplicados em administração e apenas 20% em treinamento de mão de obra”, afirmou.

Segundo Serrano, o PL 10762/18, que criará o Serviço Social e Serviço de Aprendizagem da Tecnologia da Informação e Comunicação (Setic), destina os valores descontados da folha de pagamento das empresas do setor para a formação de até 1 milhão de profissionais especializados.

“Queremos usar os recursos das empresas de telecomunicações para capacitar mão de obra à transformação digital”, afirmou Serrano. Se criado, o Setic pode receber cerca de R$ 1 bilhão do Sistema S.

Anterior Por 5G, Anatel propõe elevar faixas destinadas ao radioenlace
Próximos “Brasil tem gap de talentos para a transformação digital”, diz Rodrigo Duclos, diretor da Claro