Para Merrill Lynch, controladores da Telemar querem sair logo


A proposta de pulverização das ações da Telemar Norte Leste (TNL) e de sua controlada, a Telemar operacional (Tmar), calcada na valorização das ações ordinárias, revela, na opinião da Merril Lynch, em seu relatório divulgado hoje, 18 de abril, que os atuais controladores da empresa (BNDES, banco Garantia, grupo La Fonte e Andrade Gutierrez) querem …

A proposta de pulverização das ações da Telemar Norte Leste (TNL) e de sua controlada, a Telemar operacional (Tmar), calcada na valorização das ações ordinárias, revela, na opinião da Merril Lynch, em seu relatório divulgado hoje, 18 de abril, que os atuais controladores da empresa (BNDES, banco Garantia, grupo La Fonte e Andrade Gutierrez) querem sair rapidamente da empresa, o que poderá valorizar mais rapidamente as ações ordinárias.

Se a proposta for efetivada, as ações ordinárias, analisa o banco, poderão atingir patamares  55% maiores do que os atuais enquanto as ações preferenciais subirão, no máximo, 15%. Mesmo com essa discrepância, o banco entende que os acionistas com ações preferenciais têm pouco a perder se aceitarem a proposta da empresa, já que atualmente não têm acesso ao tag along  e possuem limitados direitos de acionistas.

A consultoria alerta, porém, que será um grande desafio a operadora conseguir fazer com que suas ações valorizem-se pelo menos cinco vezes para que a operação consiga ser efetivada a fim de que os acionistas preferencialistas sejam compensados. 

Anterior Para analistas, governança corporativa favorece minoritários
Próximos Teledensidade móvel pula para 48%