Para Claro, assinatura básica é mais prejudicial do que VUM


A Claro, em resposta à proposta da Anatel de reduzir as tarifas de interconexão da rede móvel (VUM) em 10% durante dois anos, resolveu atacar as concessionárias de telefonia fixa e o valor de suas assinaturas básicas, de R$ 40,00. Para a operadora de celular, “a assinatura básica cobrada é uma das principais barreiras que impedem o acesso da população aos serviços fixos”, aponta a empresa em resposta à consulta pública nº 37, que propõe redução nas tarifas de público da ligação fixo/móvel (VC), e conseqüente queda na tarifa de terminação móvel.

Para a Claro, ao invés de mexer em sua receita, a Anatel deveria atuar de forma a “estimular uma revisão por parte das concessionárias fixas locais no modelo de negócio adotado por elas, e como tratam o equilíbrio em cada um dos produtos ofertados aos seus usuários”. 

Leia o posicionamento aqui

PUBLICIDADE
Anterior Fazenda: redução da VUM traz muitos riscos no curto prazo
Próximos Telebrás adia pregão para aquisição de enlaces de rádios