Para brasileiros, computador já é mais importante que a TV.


O consumidor brasileiro gasta, atualmente, 82 horas por semana utilizando diversos tipos de mídia e de entretenimento tecnológico, como o celular; é mais voltado para atividades online e bastante interessado em novos tipos de mídia e tecnologia. Para a maioria dos consumidores, o computador superou a televisão em termos de entretenimento. Os dados são da …

O consumidor brasileiro gasta, atualmente, 82 horas por semana utilizando diversos tipos de mídia e de entretenimento tecnológico, como o celular; é mais voltado para atividades online e bastante interessado em novos tipos de mídia e tecnologia. Para a maioria dos consumidores, o computador superou a televisão em termos de entretenimento. Os dados são da terceira edição da pesquisa “O Futuro da Mídia”, realizada pela Deloitte.

Pela primeira vez, o Brasil integrou o quadro de países participantes, que inclui Estados Unidos, Japão, Alemanha e Grã-Bretanha. Foram ouvidos cerca de 9 mil pessoas no total, 1.022 no Brasil, entre 14 e 75 anos, com o objetivo de traçar um cenário sobre como os consumidores se relacionam com a mídia e identificar quais as tendências para os próximos anos.

Os entrevistados passam três vezes mais tempo por semana conectados à internet do que assistindo televisão. A maioria dos participantes (81%) apontou o computador como o meio de entretenimento mais importante em relação à TV; 58% deles disseram que videogames, jogos no computador e online são importantes fontes de entretenimento; 50% dos entrevistados estão atentos aos lançamentos tecnológicos e tentam adquirir rapidamente esses equipamentos; 47% usam o celular como um dispositivo de entretenimento.

A interação com esses mecanismos de entretenimento e o fato de os usuários serem os próprios provedores de conteúdo de suas mídias preferidas foram destacados na pesquisa: 83% dos entrevistados fazem seu próprio conteúdo de entretenimento por meio, por exemplo, da edição de fotos, vídeos e músicas. Na internet as atividades mais frequentes são utilização de ferramentas de busca, leitura de notícias nacionais e locais, consulta à previsão do tempo, atualização sobre acontecimentos factuais e busca de conteúdos de interesse pessoal, como músicas, pesquisas para escola ou trabalho e pesquisa sobre produtos.

Os entrevistados foram divididos em quatro categorias, de acordo com a idade (faixa etária de 14-25; de 26-42;  de 43-61; e de 62-75). O levantamento constatou que a faixa etária de 26-42 anos é a mais envolvida com atividades interativas na internet, como assistir a programas de TV ou usar o computador para chamadas telefônicas. Considerando todos os grupos, a atividade mais realizada na internet é a criação de conteúdos pessoais para serem acessados por outras pessoas, como web sites, fotos, vídeos, músicas e blogs.

A maioria dos entrevistados sente-se limitada em função da velocidade de conexão: 85% afirmaram estar dispostos a pagar mais para ter conexões mais velozes. As pessoas da faixa etária acima de 43 anos são as mais dispostas a pagar mais por velocidades maiores.

Um total de 92% dos entrevistados possui celular. Entre os aplicativos oferecidos por este tipo de aparelho, as mensagens de texto são as mais utilizadas (92%), seguidas da câmera digital (78%), jogos (67%) e a câmera de vídeo (62%). (Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Entidade lança manual para orientar marketing móvel
Próximos J. Macêdo terceiriza gestão de rede com Dígitro