Para Abinee, novo governo argentino pode reanimar o Mercosul


A Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) divulgou comunicado nesta terça-feira, 15, elogiando as iniciativas do recém empossado presidente argentino, Mauricio Macri. Ontem, Macri anunciou a redução em impostos para diversos setores, inclusive para a indústria local, e levantamento de barreiras burocráticas à importação.

Na avaliação do presidente da Abinee, Humberto Barbato, as primeiras ações do novo presidente da Argentina podem inaugurar uma nova fase nas relações comerciais com o Brasil. “Estes bons ventos podem reavivar o Mercosul, que estava se tornando mais um fórum político do que um bloco comercial”, observa Barbato.

Segundo ele, um importante passo dado pelos argentinos é o fim da obrigação da Declaração Jurada de Autorização à Importação (Djai) a partir de 31 de dezembro. Criada em 2012, a Djai funciona como uma barreira à entrada de importados no país. Para entregar uma mercadoria na Argentina, o exportador tem que solicitar essa autorização ao governo e não há prazo para se obter a resposta, seja ela positiva ou negativa.

O presidente da Abinee ressalta que, em 2011, as exportações para a Argentina representavam 24,3% do total do setor eletroeletrônico. Em 2015, esta participação atingiu 18,2%. “Esperamos que 2016 represente uma retomada com o nosso principal parceiro comercial e que esta postura mais aberta dos nossos vizinhos ganhe ressonância no Brasil”, diz. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Celular já é responsável por 17% das transações do banco Itaú
Próximos Conversor sem Ginga será entregue em Rio Verde e desligamento da TV fica para 15 de fevereiro