Papéis da Telemar melhoram de posição


A Standard & Poor's Ratings Services removeu hoje da listagem CreditWatch com implicações negativas os ratings de crédito corporativos de longo prazo BB+ em sua escala global e o rating de crédito corporativo brAA+ em sua Escala Nacional Brasil atribuídos às empresas do grupo Telemar, assim como demais ratings vinculados a esses. Os rating foram …

A Standard & Poor's Ratings Services removeu hoje da listagem CreditWatch com implicações negativas os ratings de crédito corporativos de longo prazo BB+ em sua escala global e o rating de crédito corporativo brAA+ em sua Escala Nacional Brasil atribuídos às empresas do grupo Telemar, assim como demais ratings vinculados a esses. Os rating foram colocados em CreditWatch em 23 de abril de 2007 após decisão tomada pela Telemar Participações S.A. (TmarPart) de fazer uma oferta pública para aquisição de todas as ações preferenciais em circulação da Telemar Norte Leste S.A. (TMar) e da Tele Norte Leste Participações S.A. (TNL). Como o número de ações oferecidas à venda no âmbito da oferta pública não atingiu a adesão mínima de dois terços das ações preferenciais em circulação,  o leilão de oferta de compra não foi realizado.

Os ratings de emissor das empresas Telemar refletem os desafios de um ambiente competitivo cada vez mais desafiador, e de constantes evoluções a serem enfrentadas pelas empresas de telecomunicações, além de certos riscos regulatórios. Esses riscos são parcialmente compensados pelo sólido desempenho operacional e financeiro da Telemar nos últimos anos, e por um ambiente de negócios e econômico mais favorável no qual a empresa opera. A Telemar tem conseguido reduzir de forma consistente os níveis de dívida bruta, enquanto a geração de caixa permaneceu forte apesar da tendência geral negativa para as margens operacionais no setor.

Na opinião da agência, a Telemar está estrategicamente bem posicionada para se favorecer das oportunidades de crescimento na dinâmica indústria de telecomunicações, uma vez que a empresa atua em uma ampla área geográfica do Brasil (com mais de 50% da população nacional) e já demonstrou sua capacidade para desenvolver novos serviços e oferecer pacotes de serviços enquanto mantém uma liquidez sólida para dar suporte a suas expressivas necessidades anuais de investimentos.

Esperamos que a Telemar mantenha margens Ebitda num patamar superior a 30% nos próximos anos, o que deverá sustentar um índice de geração interna de caixa (Funds From Operations – FFO) sobre dívida total de pelo menos 60%, enquanto a dívida total pelo Ebitda deve continuar com a tendência declinante e se aproximar do patamar de 1,0x (66% e 1,45x, respectivamente, nos últimos doze meses findos em junho de 2007).

Liquidez
A posição de liquidez da Telemar é relativamente forte para suas necessidades de curto prazo. Em junho de 2007, a dívida de curto prazo da Telemar somava US$973 milhões (cerca de 22% de sua dívida total) enquanto as reservas de caixa atingiram US$2,3 bilhões. Ao mesmo tempo, a Telemar detém forte capacidade para gerar fluxo de caixa operacional livre após investimentos (a empresa produziu fluxo de caixa discricionário de US$1,8 bilhão nos doze meses findos em junho de 2007), mesmo retornando valores significativos aos acionistas.

( Fonte: relatório da S&P)

Anterior TV Pública terá a missão de servir à sociedade
Próximos Google prestes a lançar plataforma celular