Pai da internet se diz preocupado com liberdade de inovação na rede


Evangelista do Google afirma que é preciso trabalhar para que a internet se mantenha uma ferramenta aberta a todos, em que aplicações não precisem pedir autorização para receberem acesso dos usuários

Vincent Cerf em conferência aberta no Hangout
Vincent Cerf em conferência aberta no Hangout

Em conferência de vídeo aberta utilizando a ferramenta Hangout, do Google, Vint Cerf, cientista da computação considerado um dos pais da internet e evangelista do gigante de buscas, explicou sua maior preocupação com o futuro da internet: que deixa de ser uma ferramenta aberta.

“Meu maior medo é que ocorra um ataque à abertura da rede. As aplicações desde sempre precisaram apenas aparecer, entrar na rede e deixar que as pessoas a acessassem. O Google, quando criado, não precisou de autorização dos provedores de serviço de todo o mundo para ser acessado. Devemos trabalhar para que a internet continue assim”, afirmou Cerf.

O evangelista também tocou em outro tema polêmico da atualidade, a neutralidade de rede. Sobre a polêmica em torno da importância do tratamento isonômico de dados na rede, Cerf se disse favorável a legislações que impeçam bloqueios a determinadas aplicações, serviços ou conteúdos, e demais práticas anti-competitivas na internet praticáveis pelos donos dos “canos” por onde passam os bits e bytes. No entanto, frisou que qualquer forma de gestão de redes que beneficie os usuários deve ser vista como algo benéfico.

Anterior Documento base para a NET Mundial será divulgado no dia 10 de abril
Próximos Oi anuncia limite máximo de emissão de ações em oferta