Advertisement

A operadora defende que a Anatel adote o mesmo critério que usou no seu TAC e dê publicidade às cidades que serão beneficiadas

Anatel aponta as razões para manter acompanhamento especial da Oi após a RJ

Missão de Navarro é reposicionar a imagem da Telefónica no mundo digital

Consciência negra: um gesto simbólico

Luiz Alexandre Garcia, que migra para o comando da holding Algar, acredita que a 5G só irá avançar a contento no país se a Anatel mudar as regras de destinação do espectro, que exige hoje uma licença de telecomunicações. Ele defende que as empresas dos diferenciados segmentos, como uma mineradora ou um hospital, possam também ocupar as frequências da 5G para atender as suas necessidades de conexão.

MENU

Voltar