Telcomp e Associação Neo defendem mudanças no edital, como garantias de acesso ao espectro em caráter secundário para quem não conseguir comprar. Abrint quer mais granularidade. Abranet aguarda detalhes sobre a participação de consórcios.

Em segunda instância, a desembargadora Ângela Catão, negou os argumentos da Ancine e manteve a liminar contra a Condecine teles. E atores famosos encabeçam abaixo-assinado contra o movimento das teles.

Objetivo é votar em conjunto por definições, padronizações e harmonização de espectro em conferências internacionais, além de incentivar a pesquisa tecnológica.

A assembleia será realizada no dia 2 de março, em Brasília, e decidirá sobre o agrupamento das ações da empresa.

Prova de conceito foi demonstrada em Barcelona com veículos aéreos não tripulados da Yuneec

Diego Biscaia tem como meta fazer a empresa crescer 30% este ano.

Foram feitas 4 milhões de reclamações na Anatel em 2015, aumento de 43,5%. Para a agência, metade do desse aumento se deve a ampliação dos canais de atendimento. O serviço que mais contribuiu para o aumento durante o ano de 2015 foi o celular pós-pago, com cerca de 1,2 milhão de reclamações – 415 mil a mais que no exercício anterior. Em termos proporcionais, o maior crescimento de reclamações foi o relativo à TV por assinatura, cujo volume aumentou em 83%.

As operadoras de telecomunicações, divulgaram hoje, 22, uma “Carta Aberta à Indústria Audiovisual e à Sociedade Brasileira”, na qual chamam para o diálogo o setor audiovisual e o próprio governo, após a reação à decisão do SindiTelebrasil de recorrer à justiça – e ganhar a liminar – contra a taxa da Condecine. No documento, as empresas buscam demonstrar que o seu movimento não é contrário à produção brasileira nem à taxa em si, mas à alta carga tributária do setor e ao reajuste de 28% sobre essa contribuição promovido pelo governo no final do ano passado. E dizem ainda que já pagaram muito mais do que o governo liberou. Conforme o sindicato, há R$ 2 bilhões pagos e não aplicados no audiovisual.

Entre as operadoras que participam da empreitada estão a América Móvil, que controla a Claro no Brasil, e a TIM.

Inatel Smart Campus: Laboratório Vivo para Smart City

Programa Cidades Inteligentes adota padrões da ONU

O impasse da ocupação dos postes só se resolve com correção no setor elétrico, diz MCTIC

Professor de Governança e Regulação da Internet defende mais meses para a Anatel tomar uma decisão com planejamento por envolver gastos bilionários, além de risco em perda de emprego e aumento da desigualdade de acesso

MENU

Voltar