Orange alega que acordo de 4G entre Telefónica e Yoigo é anticompetitivo


A Orange quer a suspensão do acordo de compartilhamento de infraestrutura entre Telefónica e Yoigo e, para isso, apresentou ao regulador espanhol, a Comisión Nacional de la Competencia (CNC), um pedido para que paralise as ações decorrentes do pacto, enquanto analisa o impacto à concorrência. 

A Telefónica Espanha e a Yoigo assinaram uma série de acordos que permitirá à Movistar, prestadora de telefonia móvel do grupo, ter acesso aos serviços 4G pela rede da Yoigo, enquanto a Yoigo terá acesso à rede fixa (banda larga e voz) da Telefónica. O acordo também inclui a renovação do acordo de roaming nacional com a Yoigo para uso das redes 2G e 3G da Telefónica, assinada pelas empresas em 2008 e que será extendida até 2016.

A operadora de capital francês defende que o acordo é anticompetitivo. Isso porque a Movistar, marco do grupo espanhol no mercado doméstico poderá competir no mercado de 4G — em que estava atrás das concorrentes — utilizando o espectro da Yoigo sem prévia autorização. Ainda, considera que com o acordo a Telefónica se exime de investir em rede própria, beneficiada em redução de custos. A Yoigo, por sua vez, estará condicionada a manter o preço da concorrente com quem fechou o acordo, no caso da telefonia fixa. Além disso, a empresa poderá oferecer o serviço fixo enquanto a Orange e a Vodafone ainda desenvolvem este serviço. (Da redação)

Anterior Telecom Italia adia reunião do Conselho de Administração e busca saída para nova estrutura societária
Próximos Aastra Telecom abre área de serviços no Brasil e fecha contrato com Telefônica