Operadoras levam ao MCTIC estudo favorável à convivência de 5G e parabólicas


O SindiTelebrasil, que representa as operadoras de telecom, apresentou hoje ao MCTIC (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações) e à Anatel o resultado dos testes realizados pela Fundação CPqD, com base nos testes da agência, que comprovam a viabilidade técnica da convivência entre o 5G, na faixa de 3,5 GHz, e os sinais de televisão transmitidos via satélite pela Banda C (TVRO).

Segundo o CPqD, é possível eliminar totalmente as interferências com a utilização de dispositivos, denominados LNBF’s de nova geração, a serem instalados na recepção dos sinais de TVRO, na residência do usuário. As operadoras entendem que esse trabalho é complementar ao realizado pela Anatel em maio de 2019 porque os LNBF’s testados agora não existiam à época.

Durante os ensaios de laboratório e a avaliação de campo, foram testados oito novos LNBF’s, de quatro fornecedores, e três deles eliminaram 100% da interferência, mesmo nos cenários mais críticos. “Três dos quais foram capazes de eliminar totalmente a interferência do sinal na banda adjacente, avaliados no Cenário Anatel, sem a necessidade de redução na potência transmitida pelo 5G”, diz o CPqD no relatório.

O objetivo dos testes do CPqD foi de encontrar uma solução para os problemas de convivência apontados nos testes realizados anteriormente pela Anatel, que indicavam eventuais casos de interferência nas situações mais críticas. Com isso, explica o CPqD, os fabricantes fizeram aprimoramentos. “Esse marco foi determinante para o surgimento de uma nova geração de LNBF’s”, aponta o relatório.

Segundo o Telebrasil, as conclusões do CPqD reforçam o entendimento de que é desnecessária a migração de toda infraestrutura de TVRO para a banda Ku. “Isso traria uma complexidade desproporcional e um elevado impacto financeiro, com consequências negativas para o desenvolvimento da tecnologia 5G no Brasil”, relatou a entidade.

Anterior Governo implanta atendimento virtual via WhatsApp
Próximos Ancine abre consulta pública para alterar regulação da TV paga

3 Comments

  1. moises sat hdm
    18 de novembro de 2019
    Responder

    ainda só acredito vendo pois como já havia dito antes até hoje testado aqui mais de dez modelos de lnbfs na banda c todos com filtro no 4G ainda tem enteferecia sim agora e aguada esses teste de vcs no 5g pois será muito mais intereferência sem conta que isso é apenas o começo pois já tem países de primeiro mundo já tem teste do 6g então futuro seria mingra sim pra primeiro pra anatel não ouvi reclamação outra muitos usuários de parabólicas banda c estão e desativando suas parabólicas devido chegada do sinal digital terestre eles alegam que não querem mais aquele chapelzao em cima da casa ser fosse uma antena pequena tipo sky eles queria outra isso é só começo depois vai vim 6g aí vão mexe denovo melhor atualiza hoje de que deixa pra depois pois o futuro promete

  2. Luiz Alfredo
    19 de novembro de 2019
    Responder

    O que esperar: primeiro as teles não queriam o 5g, depois disseram que era melhor usarem filtros nas antenas velhas, depois que seria melhor mesmo mudar para a banda Ku, depois v com está. Sabe o que parece: que o dinheiro do leilão vai mesmo para as antenas de 5g e não para o fundo que gere a modernização social.

  3. 19 de novembro de 2019
    Responder

    Olá ,parece que resolveram que foi claro e evidente que tinha uma sai da, sendo assim não haverá trans. tornos, tomara que as marcas que vão passar fabricar os lnbf,s consi gam ser eficintes.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *