Operadoras entendem que críticas à Huawei envolvem gerra comercial, diz executivo


Mika Lauhde, vice-presidente de cibersegurança da Huawei, não têm dúvidas de que a 5G será uma das plataformas mais seguras já lançadas. À frente de uma das áreas mais críticas da gigante chinesa, não apenas pela importância que a segurança exerce nas redes de comunicação, como pelo papel que a empresa acabou ocupando nas divergências entre os governos norte-americano e chinês, o executivo garantiu que as operadoras de telecomunicações em todo o mundo já entenderam que se trata de uma gerra comercial e não técnica.

Nos últimos anos, seu papel à frente da área de segurança na Huawei tem se concentrado em mostrar para governos e empresas que apesar de não ser perfeito, os sistemas de cibersegurança vêm sendo aprimorados. E quando se trata das acusações feitas pelo governo norte-americano de que os sistemas da gigante chinesa favoreceriam obtenção ilegal de dados, Laudhe é ainda mais enfático ao garantir de que até agora não foi apresentada qualquer evidência nesse sentido e que a empresa já abriu a fonte dos códigos há alguns anos.

Negócio fotografia desenhado por Onlyyouqj - Freepik.co
Negócio fotografia desenhado por Onlyyouqj – Freepik.co

“Temos sido transparentes, motivo pelo qual já ganhamos a confiança de governos como Alemanha e Reino Unido”, disse. Na Europa, a abertura do Centro de Cibersegurança em Bruxelas, ocorrida no início do ano, colaborou ainda mais para dissipar as possíveis desconfianças sobre a Huawei. O executivo disse, entretanto, que não há planos de abrir um laboratório de segurança na América Latina.

Nem mesmo o alinhamento do presidente Jair Bolsonaro com Donald Trump preocupa Lauhde, para quem sempre é possível, mais uma vez de forma transparente, mostrar que não há riscos na adoção dos componentes Huawei. Mas, até agora, não houve qualquer questionamento nesse sentido por parte de autoridades brasileiras, garante..

Já em relação às operadoras, a preocupação é menor do que governos. “Há dois anos havia uma certa apreensão mas esse comportamento mudou e eles nos dizem que entendem haver mais problemas comerciais”, ressaltou. Ele citou como exemplo a Vodafone que há pouco tempo deu aval para equipamentos Huawei dizendo que confia na empresa e nos seus equipamentos. “O que pode ser melhor que isso? “, observou.

5G

Quando se trata de segurança de dados na 5G, Laudhe garante que se trata da plataforma mais segura. Isso porque, afirmou, o aprendizado com as gerações anteriores ajudou a aperfeiçoar os sistemas e corrigir erros do passado. A Huawei tem investido pesado nessa tecnologia e tem feito testes dos sistemas principalmente na China, mas também outros países da Àsia. A empresa conta com cinco fornecedores de chipsets e responde por cerca de 40 contratos comerciais no mundo com aproximadamente 100 mil estações radiobase.

Anterior Oi diz que concessão é insustentável desde 2015 e quer esse prejuízo na conta da migração
Próximos Lançamento de DWDM de 100 Gb para provedores regionais