Operadoras e indústria querem padrão aberto para o M2M


A primeira reunião da Câmara de Gestão e Acompanhamento do Desenvolvimento de Sistemas de Comunicação Máquina a Máquina (M2M), realizada ontem, serviu para definir o tom da composição desta Câmara, que terá a participação da iniciativa privada, além de diferentes órgãos do governo federal. A portaria com a constituição desta Câmara deverá ser publicada ainda este mês, afirmou hoje José Gustavo Gontijo, do ministério.

Conforme Gontijo, tanto a indústria como as operadoras de celular defenderam como imprescindível para o desenvolvimento do setor a adoção de padrões abertos.  Além disso, pediu para ampliar a desoneração fiscal – hoje concentrada na redução do Fistel para as máquinas M2M – embora esta medida tenha sido vista com entusiasmo pelo setor.

 

Anterior Em 6 anos, portabilidade numérica permite 25 milhões de trocas de operadoras
Próximos Nokia Networks fecha contrato de US$ 970 milhões com China Telecom