Operadoras desligam 7,6 milhões de linhas móveis em seis meses


O número reflete a menor tolerância das teles em manter em sua base clientes inativos. Enquanto no pós-pago houve crescimento em setembro, no pré-pago houve o desligamento de 4,46 milhões de chips. O LTE dobrou de tamanho desde março, contabilizando 18,24 milhões de acessos.

shutterstock_Sergey Nivens_device_telefonia_movel_tendencia_anatel_celularAs operadoras de telefonia móvel desabilitaram, nos últimos seis meses, 7.628.867 chips. O número foi revelado nesta sexta-feira, 13, pela Agência Nacional de Telecomunicações, e se refere à base de clientes de telefones celulares até setembro. O Brasil encerrou o mês com 275.889.512 usuários móveis. Na comparação com agosto, houve mais de 4,1 milhões de desligamentos.

O número reflete a menor tolerância das operadoras em manter em sua base de pré-pagos clientes inativos. Enquanto no pós-pago houve um crescimento de pouco mais de 300 mil linhas, para 72,327 milhões, no pré-pago houve o desligamento de 4,46 milhões de chips. Executivos de todas as operadoras – Claro, Oi, TIM e Vivo – já haviam comentado na divulgação dos resultados do trimestre que adotaram critérios mais restritivos para manter ativado um chip pouco usado pelo cliente.

Embora os número não tragam quanto chips da base de pré-pagos cada empresa desligou, nos fornece um bom parâmetro. A Claro apresentou queda de 856.418 na base de usuários (pré ou pós). A Oi teve queda de 584.837. A TIM também registrou uma queda de 815.397 assinantes. Enquanto a base total da Vivo diminuiu em nada menos que 2 milhões sua carteira.

Os números não trazem nenhuma transformação no ranking das operadoras móveis. A Vivo permanece como maior operadora móvel em número de clientes, com 28,78% do mercado (79,4 milhões). Seguida de TIM, com 26,31% (72,5 milhões), Claro, com 25,5% (70,3 milhões) e Oi, com 17,93% (49,4 milhões).

A transformação quanto às tecnologias mais usada, porém, tem sido intensa. O LTE praticamente dobrou de tamanho desde março, passando de 9,3 milhões de acessos para 18,24 milhões. O 2G (GSM) ainda existe em 80 milhões dos acessos, depois de queda de mais de 20% desde março. E o 3G conecta 160,5 milhões de pessoas, ante 154 milhões em março.

A Anatel também divulgou nesta sexta-feira dados sore o mercado de TV paga, telefonia fixa e banda larga no Brasil, referentes ao mês de setembro.

Anterior Banda larga ganha 205 mil assinantes em setembro
Próximos Finep tem novo presidente