Oi obtém sucesso na troca de bonds antigos por novos


A Telemar Norte Leste, do Grupo Oi, obteve 80,3% de adesão na troca de notas antigas – de uma emissão de US$ 750 milhões feitas em 2009, com 9,5% de vencimento, no auge da crise internacional, quando as taxas de remuneração eram mais altas – por notas novas, com cupom de 5,5% e vencimento em 2020. O fato foi comunicado à Comissão de Valores Mobiliários nesta quinta-feira, dia 23.

A transação, que envolveu um valor total próximo de US$ 602,3 milhões, é tida no mercado como um sucesso, uma vez que o prêmio oferecido para a troca de ações, de 1% sobre o valor atualizado das notas, é considerado modesto. Ainda assim, a oferta foi bem recebida pelo mercado.

A troca de ações coincidiu com outra operação de vulto, concluída no último dia 15, quando a companhia captou US$ 1 bilhão no mercado alternativo da Bolsa de Singapura (SGX-ST), numa transação não sujeita à legislação norte-americana. E, apesar de os bonds da nova operação não contarem com qualquer tipo de garantia real o fidejussória, o interesse dos investidores foi de seis vezes superior à oferta, informou a Oi em comunicado à imprensa. Hoje, com a troca da maioria das notas, o preço de referência de futuras emissões da Telemar Norte Leste cai dos antigos 9,5% para 5,5% ao ano, pagos semestralmente.

Dívida alongada

O total levantado pela companhia será usado para alongar o perfil de sua dívida e antecipar pagamentos que vencem este ano, próximas a R$ 1,5 bilhão, e de algo entre R$ 5 bilhões e R$ 6 bilhões em 2011. “Não haverá impacto na dívida líquida da empresa” garantiu Alex Zornig, diretor de Finanças e Relações com Investidores da Oi, ao final da operação de emissão de notas.

A captação dos US$ 1 bilhão no ínicio de setembro foi coordenada pelo Bank of America, pela Merryll Lynch, pelo BNP Paribas, pelo BTG Pactual e pelo Itaú. Segundo comunicado divulgado pela Oi, as notas dadas aos bônus pelas agências de classificação de risco Moody´s Investor Service, Fitch Rating e Standard & Poor´s foram de Baa2, BBB- e BBB-, respectivamente.

Anterior Para Valente, fusão da Telefônica com a Vivo não influenciará nas atividades da TIM.
Próximos A Agenda Digital Europeia e a banda larga