Oi Soluções começa a integrar serviços de nuvem híbrida e edge computing


A Oi Soluções, braço da Oi para atendimento do setor corporativo, anunciou nesta semana o Oi Smart Cloud 4.0, sua nova plataforma de nuvem híbrida, com capacidade de gestão inclusive de equipamentos em edge computing.

A plataforma é baseada em ferramentas de código aberto de diferentes parceiros e poderá se contratada por grandes empresas de qualquer ponto do Brasil. O cliente poderá fazer a gestão da capacidade em nuvem através de um dashboard, de modo instantâneo.

Além de disponibilizar infraestrutura como serviço (IaaS), a tecnologia atua no formato de nuvem híbrida, sendo o modelo público com infraestrutura compartilhada, e o privado com infraestrutura dedicada a um único cliente.

O serviço prevê uso do data center que a companhia possui em Brasília (DF), e que será vendido conforme o plano estratégico apresentado ano passado. Rodrigo Shimizu, diretor de Marketing da Oi Soluções, ressalta porém que isso não muda em nada a modelagem do produto. Segundo ele, os clientes podem alocar seus dados nos data centers de sua escolha.

De olho na internet das coisas

A incorporação de ferramentas para edge computing se dá em função da crescente demanda por internet das coisas, em casos de uso que exijam baixa latência dos servidores.

Outra possibilidade levantada por Shimizu reside na aplicação de automação ou algum grau de inteligência artificial na ponta, com a rede sendo capaz de identificar e selecionar previamente o que deve ficar no local, e o que deve caminhar para a nuvem híbrida.

“No caso de um grande varejista com 200 lojas com videomonitoramento, é possível fazer a plataforma decidir que tipo de vídeo deve ser direcionado ao data center. Um vídeo contendo alguma ocorrência, algum disparo de alarme, por exemplo. Já o restante da gravação pode ficar no servidor local”, diz. Dessa forma, a empresa economiza com a transmissão de dados e com o uso de armazenamento na nuvem pública.

Atualmente, a Oi já tem 200 clientes no segmento de nuvem. Com a nova Smart Cloud, espera crescer 50% nos próximos dois anos. Espaço para crescer há de sobra, diz o executivo. Basta levar em conta o tamanho da carteira corporativa da tele, que atende nada menos que 57 mil outras empresas Brasil afora.

O lançamento também marca a estratégia da Oi Soluções em se tornar cada vez mais uma integradora de serviços. Dessa forma, há a expectativa de que os ganhos com integração superem as receitas tradicionais vindas de serviços de telecomunicações que a companhia sempre prestou no B2B.

Shimizu diz, porém, que ainda não é possível prever quando a receita com integração será maior que dos serviços tradicionais. “Hoje a atuação como integradora é nossa principal linha de crescimento da receita, ainda não é a maior, mas é a que mais cresce das nossas linhas de negócio”, ressalta.

Anterior Greve na Dataprev é ampliada com adesão dos trabalhadores em SP
Próximos Grupo Telefónica contratou banco para vender parte de unidade de tecnologia

1 Comment

  1. Alex Znamensky
    30 de Janeiro de 2020
    Responder

    Pelo artigo:
    http://www.telesintese.com.br/oi-investe-para-renovar-nuvem/
    de 04/Out/2017, a Oi lançou o “Smart Cloud 4.0” na Futurecom 2017. Como então “A Oi Soluções, braço da Oi para atendimento do setor corporativo, anunciou nesta semana o Oi Smart Cloud 4.0” agora em 2020?

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *