Oi será fornecedora oficial de serviços de telecom para o Mundial de 2014


O presidente da Oi, Luiz Eduardo Falco, anunciou hoje que a operadora será a fornecedora oficial da Fifa para os serviços de telecomunicações do Mundial de 2014. O valor do contrato não foi revelado (nos jogos do Pan, também patrocinados pela Oi, o investimento em infraestrutura de telecom foi de US$ 25 milhões). O diretor …

O presidente da Oi, Luiz Eduardo Falco, anunciou hoje que a operadora será a fornecedora oficial da Fifa para os serviços de telecomunicações do Mundial de 2014. O valor do contrato não foi revelado (nos jogos do Pan, também patrocinados pela Oi, o investimento em infraestrutura de telecom foi de US$ 25 milhões). O diretor da divisão de marketing da Fifa, Thierry Weil, informou que existem seis patrocinadores globais e a Oi é a quinta empresa com a qual a Fifa assina contrato de patrocínio, e a primeira companhia nacional. "O fato de termos uma cota global mostra a visão de futuro da Oi", afirmou Falco, em referência aos planos da operadora de prestar serviços fora do Brasil.

De acordo com Falco, ainda não foi definida qual a tecnologia a ser usada e nem como será a infraestrutura no Estado de São Paulo, a única região fora da área de concessão da Oi, após a incorporação da Brasil Telecom. "Estamos em 97% do território nacional e São Paulo, apesar de seu peso na economia, representa apenas 3% e é muito mais fácil ter 97% e cobrir 3% do que o contrário", comentou. Além de São Paulo, a Oi irá prover os serviços de telecomunicações nas demais cidades que sediarão a Copa do Mundo, que são: Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e Salvador. O presidente da Oi apontou ainda como vantagem o fato de a operadora ter serviços fixos e móveis. "O futuro é ter redes convergentes e se não tivessemos a fixa e a móvel não teriamos condições de suportar a demanda (da Copa)".

Expansão

Em relação aos planos de expansão da Oi, Falco disse que eles já começaram pela ampliação dos serviços de cabos submarinos (a Brasil Telecom detinha a Globenet, empresa de cabos, também incorporada pela Oi). Falco deu como exemplo a expansão para Manaus, que está sendo feita a partir da Venezuela, que já á atendida pela Globenet, cuja rede de fibras ópticas de 22 mil km interliga Brasil, Bermudas, Venezuela, EUA e Colômbia.

A venda de serviços nesses países ainda é limitada ao atacado, mas os planos são de fazer a oferta também no varejo, destacou. Segundo Falco, as oportunidades estão principalmente na Argentina.

Anterior TV digital chega a Natal (RN)
Próximos MPF/SP abre consulta pública sobre qualidade dos serviços de banda larga móvel