Oi seleciona startups para seu programa de incubação


A Oi abriu as inscrições para startups interessadas em participar do programa de incubação do Oito, o espaço de inovação e empreendedorismo da companhia, localizado em Ipanema, no Rio de Janeiro. As propostas devem atender a desafios apresentados pela companhia e serão recebidas pelo site do Oito (www.oito.net.br) até o dia 16 de janeiro.

O resultado será divulgado em fevereiro, após a realização de apresentações presenciais (pitch), e o programa terá início em março, com duração de 9 meses. Startups de todo o Brasil e do exterior podem participar do programa. O número de selecionadas será definido de acordo com a adequação das propostas enviadas aos desafios definidos no edital, elaborados com a contribuição de diferentes áreas da companhia. A seleção das startups será conduzida pela Oi com apoio da Associação Brasileira de Startups.

As startups selecionadas terão acesso a mentorias, apoio nas áreas gerencial, jurídica, financeira e de comunicação, e acesso facilitado a produtos e serviços de empresas parceiras, como Oracle, IBM e Amazon Web Services. As incubadas também terão à disposição até três posições de trabalho no espaço de coworking do Oito e poderão receber aporte financeiro para investimento no desenvolvimento do projeto proposto, em condições e valores a serem acordados entre as partes, incluindo ou não a possibilidade de participação do Oito no seu capital social.

Os desafios que deverão ser atendidos pelas propostas das startups foram divididos em três temas (operacionais, financeiros e negócios) e cada um tem objetivos específicos, relacionados a áreas estratégicas da Oi e com potencial de aplicação em diversos segmentos de atuação de clientes atuais e potenciais da companhia.

 Critérios de seleção

O Comitê Interno de Seleção das startups será composto por executivos da Oi. Além da aderência aos desafios, os critérios de seleção serão a maturidade do projeto e da empresa, a viabilidade técnica e econômica do empreendimento, a consistência entre o modelo de negócio e a estratégia de entrada no mercado, a base tecnológica e grau de inovação e competitividade da solução, potencial de sinergia da startup com as demais incubadas, e a qualificação dos proponentes e da equipe. (assessoria de imprensa)

Anterior Anatel vai liberar faixa de WiFi para ser compartilhada por operadoras de celular
Próximos Abinee negocia com o governo mudanças na Lei de Informática