Oi muda marca e lança quad-play mesmo em reestruturação de dívida


A Oi lança em 30 de março, em todo o Brasil, o seu pacote quadruple play e muda a marca, com um novo posicionamento. Com os novos planos Oi Total a operadora leva o bundle no serviço e no atendimento. O CEO da operadora, Bayard Gontijo, ressaltou que a Oi decidiu fazer essa mudança agora porque entende que deve tocar o operacional da empresa independente da reestruturação da dívida. “Não precisamos esperar nada para transformar a companhia”, afirmou o executivo.

Bayard Gontijo, presidente da Oi, no lançamento nova marca Oi
Bayard Gontijo, presidente da Oi, no lançamento nova marca Oi

A nova marca da Oi busca reforçar o “poder das relações e dar voz  as pessoas” com uma forma fluida. A cor amarela passa a conviver com todas as cores e a forma da ameba muda conforme a voz ou o gesto dos que passam em frente à logomarca.

Com o novo lançamento, que começa a ser divulgado a partir do dia 30 de março, em campanha publicitária em todas as mídias, a Oi irá comercializar os novos planos para mais de 4,4 mil municípios. Não levará as mesmas promoções para o estado de São Paulo, pois não tem lá a sua rede fixa.

Bernardo Winik, diretor comercial da Oi
Bernardo Winik, diretor comercial da Oi

Segundo o diretor de varejo da empresa, Bernardo Winik, são  três tipos de planos – o Oi Total Solução Completa, o Oi Total Residencial e o Oi Total Conectado, com quatro opções  customizadas. “Não estamos fazendo esse lançamento apenas nas 200 cidades onde tem competição, mas nos  mais de quatro mil municípios brasileiros, democratizando o conteúdo”, afirmou ele.

No Oi Total Residencial  serão oferecidos a banda larga, a TV e o serviço fixo. No Oi Total Conectado, o serviço móvel entra no lugar da TV e no Oi Total Solução Completa, os quatro serviços são vendidos juntos. Os preços variam do pacote básico, de R$ 229, 90 no solução completa, com 118 canais de TV, 250 minutos de voz e 3 GB de dados, mais ligação ilimitada para todo o Brasil, e, no mínimo, 10 Mbps de band larga fixa.

Em 442 municípios, a Oi oferece até 35 Mega de banda larga fixa a R$ 10 por 20 mega, R$ 20 por 25 mega e R$ 30 por 35 Mega. Segundo Winik, os pacotes da Oi são os mais baratos do mercado, mas não muito mais baratos, pois a empresa mantém o posicionamento de oferecer maior valor agregado, ao invés de fazer guerra de preços.

No Oi básico, a média mensal do preço do pacote da Oi é de R$ 170,00 contra R$ 177,00 ou R$ 195,00 dos concorrentes. No pacote intermediário, o preço da Oi varia de R$ 190,00 e dos concorrentes de R$ 207 e R$ 210,00 e no avançado, de R$ 220,00 para R$ 237,00.

A meta da empresa é alcançar 1 milhão de clientes até o final do ano. Hoje, com os lançamento piloto que fez em cidades da região Centro-Oeste, a Oi já conquistou 130 mil clientes. Segundo o executivo, o lançamento do Oi Livre, que acabou o com o “clube exclusivo” e passou a cobrar pelas ligações para outras operadoras o mesmo valor da tarifa  das ligações Oi, está acelerando a consolidação da base de clientes. “Estamos consolidando o primeiro chip e queremos ser  a primeira opção do segundo chip”, afirmou.

Ele reforçou ainda que a Oi não teme os OTTs, pois seria como “ser um táxi e brigar com o Uber”, afirmou.

Anterior Indústria eletroeletrônica demitiu 48,7 mil em 12 meses
Próximos Setor de TI quer saída "constitucional" para a crise política

1 Comment

  1. Ana paula
    30 de Março de 2016

    Os planos podem ser maravilhosos,porém deve-se investir nos problemas externos e melhorar a qualidade do serviço, está ficando a desejar! Pense nisso!