Oi quer limite de espectro para frequências mais baixas


 A Oi pediu hoje a Anatel  para estabelecer um limite máximo frequências abaixo de 1GHz que cada operadora pode possuir. Estas frequências permitem que os serviços tenham maior alcance, e por isto, são muito valorizadas para a prestação de serviço móvel. Segundo a Oi,  ela é a operadora que “mais sofre” pois é aquela que possui a menor quantidade de espectro baixo. A Oi só comprou frequência faixa de 1,8 GHz e acima, e tem muito pouca frequência em 900 Mhz. Ela não possui frequências de 850 MHz, que a Vivo, Claro e TIM (em menor proporção) possuem.
A operadora alega que diferentes países estão estabelecendo um limite de espectro para que cada empresa possa ter, e citou o recente exemplo dos Estados Unidos, que estabeleceu restrições para as grandes operadoras comprarem a faixa de 600 MHz.
O superintendente de Regulação da Anatel, José Alexandre Bicalho, afirmou que a agência está preocupada com esta questão e está estudando o tema, que poderá entrar no novo regulamento. Mas disse que o edital de 700 Mhz já trata desta questão, ao estabelecer limites máximos que as empresas podem comprar. Ele admite que no Brasil as regras não são claras, pois os limites para cada empresa são estabelecidos nos editais dos leilões e há muito confusão. Bicalho gosta da iniciativa adotada pelo FCC (agência reguladora norte-americana), que estabeleceu um limite geral para as empresas prestarem qualquer serviço em qualquer frequência. “É uma proposta interessante”, afirmou.
Anterior Teles e radiodifusores pedem adiamento de novo regulamento de frequência
Próximos TCU diz que renúncia de imposto pode comprometer equilíbrio fiscal do governo