Oi pode antecipar oferta do IPTV


A Oi se prepara para lançar seu serviço de IPTV no final do ano, mas pode antecipar a oferta se, realmente, o PL 116, que unifica as regras da TV paga, abre o mercado de cabo para as teles e estabelece sistema de cota de conteúdo nacional, for aprovado até junho, como informou hoje o presidente da Ancine, Manoel Rangel. “Se o projeto for aprovado nessa data lançaremos o serviço antes, pois temos licença para prestar o serviço de cabo em Belo Horizonte”, afirmou Ariel Dascal, diretor geral da Oi TV. Rangel e Dascal participaram hoje do 25º Encontro Tele.Síntese, realizado pela Momento Editorial para debater os serviços de IPTV, cabo e banda larga.

Segundo Dascal, a Oi ainda está estudando o modelo para lançar o serviço. Embora reconheça que a fibra “é o caminho ideal” e a tecnologia ADSL “apresenta limitações”, Dascal disse que a operadora avalia chegar com o serviço na casa do usuário de várias formas: cabo, DTH e até mesmo o ADSL. “A grande discussão é como o cliente vai aceitar a qualidade do serviço (IPTV) e a massificação depende da qualidade final da banda larga. E, no caso do OTT (Over the Top Video), a rede não é gerenciada e o provedor de banda larga não é responsável pela qualidade da imagem que o usuário está recebendo”, comentou.

O diretor da Oi deu como exemplo a operadora Portugal Telecom, que “se reinventou” em seu país como empresa de telecom com a experiência de vídeo. “A PT começou a redesenhar a oferta de telefonia e banda larga e hoje é uma empresa triple play e, ainda, trabalha com DTH, com o IPTV sobre fibra e sobre o ADSL. “Nós enxergamos o IPTV como estado da arte em serviço, o que envolve uma melhor programação, pois sem conteúdo não se consegue viabilizar a oferta. Além disso, é preciso saber qual a melhor interface de uso (middleware), assegurar alta qualidade de som e imagem e viabilizar a TV em qualquer lugar e em qualquer tela”, afirmou.

Anterior Comissão do Senado vai debater venda de direitos de transmissão de jogos
Próximos Alcatel-Lucent terá centro de integração de tecnologia no Brasil