Oi nega à CVM negociações com fundo abutre Elliot


Logo OiEm atendimento a ofício da CVM sobre matéria publicada no jornal “O Globo”, revelando a intenção do fundo abutre Elliot investir R$ 10 bilhões na Oi, a companhia publicou hoje (5) fato relevante informando ao mercado que, de fato, foi procurada pelo fundo, mas que as negociações não prosperaram. A nota diz ainda que “a  Oi não tem conhecimento de negociações atualmente em curso envolvendo a companhia e o referido fundo”.

Segundo a reportagem de “O Globo”, citada pela CVM, o fundo abutre Elliot Management, do bilionário Paul Singer, teria interesse em investir R$ 10 bilhões na Oi. Seus representantes estiveram em Brasília apresentando seus planos ao governo e aos integrantes do Conselho de Administração da Oi. O fundo Elliott, lembra “O Globo”, ficou famoso após protagonizar uma batalha com a Argentina durante o processo de renegociação de dívida. O Elliott é considerado um fundo abutre, pois compra títulos de Empresas ou países em situação financeira frágil para obter ganhos financeiros. Quando a Argentina anunciou o calote, em 2001, o fundo comprou títulos por baixo preço e entrou na Justiça. O fundo já havia feito o mesmo com o governo peruano nos anos 1990.

De acordo com a reportagem, “Brasília viu com bons olhos a proposta apresentada pelo Elliott. O mais curioso desse processo é que o fundo começou o caminho por Brasília, e já conseguiu o apoio. O governo quer uma solução rápida para a Oi, pois é a principal concessionária de telecomunicações do país (em banda larga e telefonia fixa) e sua rede gerencia todo o sistema de comunicações do governo, como as fronteiras, Exército e hospitais, disse uma fonte do setor. “

 

 

Anterior Comissão da Câmara aprova projeto que vai criar novos canais de TV aberta sem licitação
Próximos TCU suspende julgamento do TAC da Oi até a solução das multas da Anatel pela justiça