Oi mira o que vem depois da recuperação judicial


Oi lançou novos planos pré-pagos, controle e pós-pagos. Neste último, adicionou compartilhamento de franquia entre dependentes e acrescentou acesso a conteúdos de Fox, Discovery e, a partir de maio, HBO. Também simplificou os combos fixos.

A Oi fez uma série de anúncios na manhã desta terça-feira (17), em Campinas (SP). A operadora apresentou novos planos pré-pagos, controle e pós-pagos na telefonia móvel. Antecipou também novidades nos combos com banda larga e TV, e extensão de parcerias.

Para um auditório lotado de vendedores, reforçou a ideia de que o pior passou e, à frente, a companhia se prepara para colher os resultados da reestruturação que atravessou em 2017 e da recuperação judicial, que segundo os executivos da empresa, segue a todo vapor.

“A companhia está comprometida em promover a retomada da receita ao mesmo tempo em que melhora a experiência do cliente. Em 2018, a Oi continuará investindo em melhoria da qualidade com a expansão da rede de 4G, da rede de fibra óptica de alta velocidade e da digitalização”, disse Bernardo Winik, diretor Comercial da Oi.

Para trás fica, conforme Winik, um ano de mudanças. Em 2017, a tele reduziu despesas em R$ 1,5 bilhão, tanto através do corte de custos, como por meio da digitalização de processos e em diversas iniciativas (nas áreas de e-care, e-billing e e-commerce). Ao mesmo tempo, aprovou o plano de recuperação judicial que, conforme divulgado na última semana, reduzirá o endividamento líquido de R$ 44,6 bilhões para R$ 7 bilhões.

Agora, chegou a hora de recuperar o mercado perdido na telefonia móvel e na fixa. A previsão é aumentar os investimentos de R$ 5,5 bilhões para R$ 7 bilhões já neste ano, mesmo com o aumento de capital previsto apenas para o último trimestre. O dinheiro irá para o refarm dos 1,8 GHz, para FTTH e reforço de backbone afim de garantir a qualidade das novas ofertas, que procuram atender a demandas dos clientes por conteúdo e por múltiplos serviços em um só.

Novos pós

A Oi lançou hoje planos pré, controle e pós-pagos com oferta maior de dados do que os que possuía antes e que trazem conteúdos de parceiros. Na telefonia móvel pós-paga, passou a permitir o compartilhamento de franquia com e entre dependentes (algo que concorrentes já tinham) e a migração instantânea de franquia de voz para dados e vice-versa (algo que já tinha no pré e no controle).

O plano pós Oi Mais Digital básico agora custa R$ 84,90, com 7 GB de dados, acesso ao aplicativo de streaming Coleção Oi e até quatro dependentes. O plano “master” custa R$ 299,90 e traz 50 GB, mesmo número de dependentes, acesso ao app de streaming da empresa e também ao FOX+, Watch ESPN e Discovery Kids. A partir de maio, haverá acesso também ao app HBO Go no pacote mais caro.

A operadora aposta que o campeão de vendas será o plano intermediário, de R$ 99,90, com franquia de 15 GB, acesso ao Coleção Oi e Fox+. Todos os planos pós têm chamadas ilimitadas de voz para qualquer operadora. O uso dos apps consome a franquia de dados.

Pré e Controle

oi-pre-controle-2018

No pré-pago, a companhia apresentou o novo Oi Livre Ilimitado. Além das chamadas sem limite para qualquer operadora, traz 2 GB de franquia de dados por R$ 20, com validade de 14 dias. É possível transformar a voz ilimitada em até 1 GB de dados.

Os planos controle, no entanto, parecem mais atraentes entre quem consegue se comprometer com o faturamento mensal. O Oi Mais Controle Básico custa R$ 40 e tem 3 GB de franquia (mais 1 GB para quem quiser converter toda a voz ilimitada em dados). Há mais dois planos controle, com até 6GB e até 8 GB, por R$ 54,90 e R$ 74,90, respectivamente.

As ofertas começam a ser vendidas amanhã (18) em todo o país, na esperança de atrair compradores em busca de promoções para o Dia das Mães.

Combos fixos

Para crescer no fixo, o foco será todo sobre as ofertas de combos do Oi Total. A empresa simplificou esse bundle, retirando contratações possíveis abaixo de 15 Mbps na banda larga. E quem quiser velocidades maiores poderá, simplesmente, pagar um prêmio para liberar mais capacidade (onde for possível).

Com isso, novos clientes terão de escolher entre três pacotes: básico, intermediário e top. Todos com chamadas ilimitadas para fixo e móvel, de todo o Brasil, e a banda larga de 15 Mbps. O cliente escolhe se além do fixo e da banda larga quer TV e celular, só celular ou só TV. Os preços vão de R$ 194,90 (básico só com fixo, banda larga e celular com 14 GB de franquia) a R$ 379,90 (top, com TV com 195 canais, e celular com 50 GB de franquia).

Anterior Para senador, lei de proteção de dados requer autoridade nacional
Próximos Com cobertura em todas as capitais, WND começa a olhar o mercado público

4 Comments

  1. Adailton de jesus
    18 de Abril de 2018

    Plano de recuperação da oi já terminou, com relação as ações judiciais já podem ser executadas.

  2. Islândia Xavier dos Santos
    18 de Abril de 2018

    Quero saber quando a OI vai pagar os consumidores que venceram ações na justiça contra ela. Para conseguir novos clientes devem respeitar o direito dos antigos.

  3. João viana
    18 de Abril de 2018

    Pagando prá ver!

  4. Erick
    19 de Abril de 2018

    Avante Oi! É bom ver a Oi forte e investindo…