Oi mantém prejuízo e aumenta a dívida. Investimentos crescem 50% no trimestre


Receita líquida caiu 8,2%, dívida líquida cresceu 26,6% e prejuízo foi de R$ 1,55 bilhão, 24% maior do que mesmo período de 2018. Mas a empresa amplia os investimentos, e investiu R$ 2 bilhões em três meses. No semestre, o Capex foi de R$ 3,78 bilhões. Levou fibra para 800 mil novas residências no período.

A Oi reportou o seu resultado operacional do segundo trimestre de 2019, com números quase todos no vermelho. O prejuízo do período foi de R$ 1,559 bilhão ( 24% maior do que o mesmo período de 2018) e a receita líquida caiu 8,2%, frente ao 2T18, para R$ 5 bilhões. A dívida líquida cresceu, e soma R$ 12, 573 bilhões, 26,6% maior do que o mesmo período de 18. O destaque está para o incremento dos investimentos, principalmente em FTTH (fibra óptica), quando nestes três meses a operadora levou a fibra para nada menos do que 800 mil residências, investindo R$ 2 bilhões no período e R$ 3,78 bilhões no semestre.

A empresa fechou o semestre com receita líquida de R$ 10,22 bilhões, prejuízo de R$ 991 milhões (porque reportou lucro contábil no primeiro trimestre) e caixa disponível de R$ 4,296 bilhões (menos 17,4% frente a 2018).

PUBLICIDADE

O Ebitda (caixa) foi de R$ 1,2 bilhão no trimestre, queda de 22% frente ao 1T18, e de R$ 2,46 nos primeiros seis meses (menos 21% em relação a 2018). A margem Ebitda é de 31,4%.

FTTH

No 2T19, a empresa ampliou os investimentos por meio da abordagem de reuso de suas fibras. Ao final do
trimestre, foram alcançadas 2,5 milhões de casas passadas com fibra (homes passed – HP’s). Dessas, cerca
de 800 mil Homes Passed foram construídas neste segundo trimestre. A Oi está atualmente
operando com capacidade para construir mais de 350 mil homes passed por mês. Além disso, de acordo com
o plano estratégico da Companhia, o objetivo é alcançar 4,6 milhões de casas passadas com fibra até o final
de 2019 e chegar a 16 milhões ao final de 2021.

A empresa fechou o primeiro semestre de 2019 com mais de 237 mil casas conectadas (homes connected – HC’c) à
fibra, uma taxa de ocupação de 9,7%. Ao final do 2T19, o Oi Fibra já estava presente em 59 municípios. Em
julho já havia 2,9 milhões de HPs e 290 mil casas conectadas, avançando para 10,2% de taxa de
ocupação. Além disso, com a estratégia de aceleração da venda de FTTH, a Oi segue comercializando também
o IPTV na fibra.

A Oi destaca também a adição líquida dos celulares pós-pagos, quando conquistou 33% de market share do pós-pago no período, crescimento de 11,5% das receitas do pós-pago e 27% de crescimento de receitas do TI corporativo.

Anterior MCTIC, Anatel e empresas vão apontar política pública para 5G
Próximos A 4G do celular tem tudo o que a área rural precisa