Oi lança serviço de ensino de inglês via SMS


A Oi lançou nesta terça-feira (26) o Oi Inglês, um serviço para aprendizado de inglês por SMS. O usuário poderá praticar o idioma recebendo lições e respondendo perguntas enviadas por SMS. O pacote semanal, que inclui até três perguntas por dia, custa apenas R$ 1,99. Esse é o primeiro serviço da nova plataforma de aprendizado …

A Oi lançou nesta terça-feira (26) o Oi Inglês, um serviço para aprendizado de inglês por SMS. O usuário poderá praticar o idioma recebendo lições e respondendo perguntas enviadas por SMS. O pacote semanal, que inclui até três perguntas por dia, custa apenas R$ 1,99. Esse é o primeiro serviço da nova plataforma de aprendizado da Oi. Nas próximas fases, a Oi também utilizará canais de voz e um portal online para a distribuição de novos serviços na área de Educação.

“O m-learning é uma importante ferramenta para o ensino à distância. Pesquisas mostram que é grande o número de pessoas que possuem celular, mas não têm fácil acesso a computador”, avalia Roberto Guenzburger, diretor de Produtos de Mobilidade da Oi.

O Oi Inglês está disponível tanto para clientes pré-pagos, que têm o valor do serviço descontado de seu saldo de créditos, quanto para pós-pagos, que recebem em sua fatura mensal o valor correspondente à utilização. Os clientes também poderão participar do Desafio Premiado e concorrer a brindes. Por mais R$ 0,31 por pergunta, é possível acumular pontos e trocar por prêmios como GPS, e-books e câmeras digitais.

O serviço é uma parceria da Oi com a integradora BeMobi e a Seleções Reader’s Digest, desenvolvedora do conteúdo. Numa próxima fase, será possível praticar a pronuncia da língua por meio de um serviço de voz em que o cliente ouve histórias por telefone, solicita a reprodução do conteúdo pausadamente e pode efetuar a repetição dos áudios, em seguida. Num terceiro momento, o serviço vai oferecer um portal na internet, com outras formas de treinar o uso do inglês. (Assessoria de imprensa)

Anterior Microsoft é condenada por abuso do direito de fiscalização
Próximos 4G Americas defende integração entre HSPA e LTE